Com R$ 1,7 milhão a receber, Somália pede na Justiça preferência no Regime Centralizado de Execuções do Botafogo

54 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Somália no treino do Botafogo no campo anexo do Estádio Nilton Santos. Ele revelou ter sido sondado pelo Fluminense
Fábio Castro/AGIF

A defesa do ex-volante Somália solicitou ao juiz responsável pelo Regime Centralizado de Execuções (RCE) do Botafogo que o ex-jogador tenha preferência no recebimento. A informação é do jornalista Matheus Mandy.

Somália tem a receber do Botafogo ainda cerca de R$ 1,7 milhão, em cálculos atualizados.

Em agosto, a defesa do ex-volante chegou a pedir que o Botafogo fosse proibido de registrar jogadores até quitar a dívida, o que foi negado pela Justiça de Alagoas. Os advogados de Somália já tentaram também bloquear parte do dinheiro que o Botafogo tem a receber referente ao caso Willian Arão.

Somália atuou pelo Botafogo entre 2010 e 2011, foi campeão carioca e teve ao todo 66 partidas e três gols marcados com a camisa alvinegra. Ele se aposentou em 2019, após defender o Água Santa (SP).

O que é o Regime Centralizado de Execuções

O Regime Centralizado de Execuções é um mecanismo legal que ordena todas as dívidas cíveis e impede, assim, que penhoras possam acontecer frutos de ações que conseguem avançar na Justiça.

O Botafogo conseguiu ingressar no RCE em setembro, baseando-se na nova Lei da SAF. Pelo acordo, o Botafogo destinará 20% da receita corrente mensal para pagamento das dívidas cíveis num prazo de seis anos.

Fonte: Redação FogãoNET e Twitter do jornalista Matheus Mandy

Notícias relacionadas