O ‘timing’ certeiro de John Textor, futuro dono do Botafogo, na Bolsa de NY

43 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

John Textor, investidor do Botafogo
Reprodução/SporTV

John Textor, que acaba de comprar o Botafogo, chega a General Severiano com reputação de pé-quente — pelo menos no que diz respeito a seu feeling como investidor.

Até 2020, o empresário americano comandava o Facebank Group, companhia especializada na criação de avatares digitais hiperrealistas para a indústria da tecnologia e do entretenimento. No início da pandemia, a empresa comprou a FuboTV, aplicativo de streaming especializado em TV ao vivo, especialmente canais esportivos. A companhia compete com o YouTube TV na corrida para atrair telespectadores que querem deixar de pagar TV a cabo.

Depois da aquisição, a companhia fez IPO em Nova York em outubro de 2020, a US$ 10 o papel. Dois meses depois, no fim de dezembro, a ação bateria sua máxima histórica, ultrapassando US$ 60. Desde então, porém, o papel rolou ladeira abaixo e vale hoje pouco mais de US$ 15 — isso apesar de a companhia entregar resultados operacionais acima do projetado por Wall Street.

Saída na alta

Só que o “timing” de Textor — que saiu da companhia no fim de 2020, mas continuava como acionista — permitiu que ele escapasse desse tombo e, muito provavelmente, vendesse sua posição na alta.

Ele chegou a ser o maior acionista individual da FuboTV, com mais de 7% do capital. Mas, em abril do ano passado, Textor já havia reduzido a participação para apenas 1,9%, segundo documentos regulatórios apresentados pela empresa à SEC, que regula o mercado de capitais nos EUA. Em outubro, após a insistência de usuários no Twitter, Textor afirmou que já havia vendido suas ações na companhia, sem dar mais detalhes, embora sustentasse ainda acreditar no sucesso da FuboTV. 

Não está claro se o empresário tem exposição à companhia via fundos ou derivativos. Mas o certo é que Textor saiu dos papéis da FuboTV no melhor momento possível até agora. Quem sabe não vem desse “timing” grande parte do capital que o empresário aportará no Botafogo,  cuja torcida se encarregou de recebê-lo em clima de lua de mel?

Fonte: Blog Capital - O Globo

Notícias relacionadas