Análise: Botafogo arranca vitória sobre o Bragantino com força mental e boa atuação de Lucas Fernandes

32 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise: Botafogo arranca vitória sobre o Bragantino com força mental e boa atuação de Lucas Fernandes
Vitor Silva/Botafogo

Em jogo morno, o Botafogo voltou a ser um visitante indigesto e venceu o Red Bull Bragantino por 1 a 0 em Bragança Paulista. Após a vitória, o Glorioso tem a segunda melhor campanha fora de casa do Brasileirão, com 14 pontos em oito jogos. O desempenho do time ainda levanta preocupações, mas o resultado traz um pouco mais de paz para a sequência do trabalho. A atuação de Lucas Fernandes foi a boa notícia da noite.

A noite de segunda colocou frente a frente dois times em busca de reabilitação e que sofrem para conseguir regularidade na temporada. Enquanto o Botafogo oscila entre vitórias entusiasmantes e derrotas decepcionantes, o Red Bull Bragantino acumula eliminações precoces na Libertadores e Copa do Brasil, além da campanha hesitante no Brasileirão. Antes do apito inicial, apenas um ponto separava as duas equipes do Goiás, o primeiro do Z4.

Análise Red Bull Bragantino x Botafogo

Depois da derrota pesada para o América-MG, Luís Castro manteve o sistema com três zagueiros mesmo com a ausência de Joel Carli, suspenso. Philipe Sampaio atuou centralizado, na função exercida pelo capitão. Outra mudança entre os titulares também foi provocada por suspensão: saiu Chay, entrou Lucas Fernandes. Há quase um mês longe dos gramados, Lucas voltou ao time titular em meio à crise criativa no sistema ofensivo alvinegro. Na lateral-direita, Saraiva voltou ao time e Daniel Borges ficou como opção entre os reservas.

O jogo

Desde os primeiros minutos, a movimentação de Lucas Fernandes no ataque alvinegro chamou a atenção. Partindo da esquerda, o meia circulou por todo o campo oferecendo linhas de passe para os companheiros e buscando a bola para construir a partir de um jogo de aproximação e passes curtos. A movimentação e a velocidade que Lucas conseguiu dar à bola deram outra dinâmica ao time, se comparado ao que Chay vinha entregando na mesma função.

Análise Red Bull Bragantino x Botafogo

Aos 13 minutos, o pesadelo das lesões voltou a assombrar o Botafogo. Kayque levou uma pancada no tornozelo esquerdo em dividida com Artur e deixou o campo chorando. Mais um problema para o treinador estabelecer o 11 titular e dar sequência para uma formação. Com Oyama e Del Piage como opções, o jogador da base foi o escolhido para que o time não perdesse em altura na defesa de bolas aéreas. A mudança fez o time ganhar em qualidade de passe, mas perder em força e chegada na área.

Em um primeiro tempo de poucas chances de ambos os lados, o Bragantino cresceu a partir dos 25 minutos, mostrando consciência nas ações ofensivas. O time do interior paulista encontrou muito espaço na entrada da área alvinegra, colocando os zagueiros em situação de desvantagem contra atacantes de velocidade. Essa situação provocou algumas faltas perigosas nas imediações da grande área do Glorioso. Philipe Sampaio, o mais lento dos três defensores, cometeu três faltas chegando atrasado em tentativas de desarmes.

Quando perdeu a ligação entre meio-campo e ataque na metade final da primeira etapa, o Botafogo não chegou mais ao ataque. O time tentou 21 lançamentos nos primeiros 45 minutos e acertou apenas três. O comprometimento defensivo de Vinícius Lopes afastou o atacante das melhores condições de servir como desafogo para passes diretos. Isolado na frente, Matheus Nascimento não conseguiu prender a bola para aguardar a chegada dos companheiros. O Glorioso terminou o primeiro tempo com quatro finalizações, todas de fora da área e todas para fora ou bloqueadas.

Análise Red Bull Bragantino x Botafogo

Sem alterações no intervalo, Castro apostou em uma marcação mais adiantada para colocar o Botafogo no jogo novamente. O time melhorou nos desarmes e voltou a incomodar a posse de bola do adversário. Com a bola nos pés, também voltou a ser eficiente na troca de passes. Aos 10 minutos, Lucas Fernandes acertou o gol pela primeira vez. O meia terminou o jogo como o alvinegro com mais passes certos no jogo e 100% de aproveitamento no segundo tempo.

O Botafogo sofreria o gol aos 15 minutos do segundo tempo na repetição de erro crônico do time: falta de pressão no jogador com a bola e amplo espaço para ser atacado nas costas da defesa. O VAR entrou em ação e anulou o gol de Artur, que ainda contaria com uma saída precipitada de Gatito. Das curiosidades do futebol, no ataque seguinte o Glorioso abriu o placar. Em cobrança de falta para a área, a bola sobrou para Vinícius Lopes marcar.

Afoito, Saravia desperdiçou boas descidas pelo lado direito. O lateral pareceu inseguro em todos os enfrentamentos do jogo. Cometeu faltas desnecessárias e errou antecipações abrindo um corredor nas suas costas. Em cima do argentino, o Bragantino criou boas chances para empatar. Patrick de Paula também não apareceu com destaque. Apagado, ganhou apenas três das dez disputas pela bola em que esteve envolvido.

Análise Red Bull Bragantino x Botafogo

O Glorioso não fez um grande jogo, mas mostrou força mental para não entrar na correria do adversário. O Bragantino só conseguiu pressionar a partir de cruzamentos. Balançou as redes outras duas vezes, ambas anuladas por impedimento. Já nos acréscimos, Castro entrou com Daniel Borges no lugar de Vinícius Lopes para reforçar a marcação e tentar evitar a chuva de bolas levantadas na área.

O Botafogo vai até a Arena Pantanal enfrentar o Cuiabá no próximo domingo (10), às 19h. Com o pior ataque do campeonato (11 gols marcados), o time mato-grossense ocupa a 18ª posição no Brasileirão, mas chega empolgado por uma vitória sobre o Avaí na Ressacada.

Números do jogo: (Footstats)

Posse de bola – BOT 41% x 59% BRA
Passes certos – BOT 165 (88%) x 383 (89%) BRA
Finalizações – BOT 10 (2 no gol) x 18 (6) BRA
Assistências para finalização – BOT 8 x 10 BRA
Desarmes – BOT 15 x 14 BRA
Interceptações – BOT 4 x 1 BRA
Rebatidas – BOT 28 x 79 BRA
Cruzamentos – BOT 2/12 (17%) x 8/37 (22%) BRA
Lançamentos – BOT 8/41 (19%) x 14/34 (41%) BRA
Viradas de jogo – BOT 3 x 0 BRA
Dribles – BOT 5 x 11 BRA
Perdas de posse de bola – BOT 29 x 33 BRA
Faltas – BOT 19 x 11 BRA
Cartões amarelos – BOT 4 x 1 BRA
Cartões vermelhos – BOT 0 x 1 BRA

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas