Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Taça Rio

16/05/21 às 11:05 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Vasco
VAS

Taça Rio

09/05/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Nova Iguaçu
NOV

0

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Carioca

02/05/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

0

X

0

Escudo Nova Iguaçu
NOV

Análise: eliminação e atuação pobre mostram involução do trabalho de Chamusca no Botafogo

10 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise ABC x Botafogo

Apático e desorganizado, o Botafogo empatou em 1 a 1 com o ABC e foi eliminado nos pênaltis na segunda fase da Copa do Brasil. O zagueiro Gilvan marcou o gol que levou a disputa para os pênaltis. A eliminação feriu um pouco mais o combalido coração botafoguense e também os cofres do clube. Com apenas uma vitória nos últimos oito jogos, o Alvinegro tem sofrido mesmo contra equipes de investimento inferior.

No Frasqueirão, buscando reencontrar o caminho das vitórias depois de uma sequência de três empates, Marcelo Chamusca apostou na continuidade para dar cara ao time titular do Botafogo. Assim, depois de uma série de rotações no 11 inicial e experimentações táticas, o treinador manteve o sistema e quase todos os titulares que entraram em campo no último sábado no empate com o Volta Redonda. A única modificação ocorreu por motivo de lesão, com a aguardada entrada de Matheus Nascimento no lugar de Rafael Navarro. O camisa nove ganhou a primeira chance como titular com Chamusca.

Análise ABC x Botafogo

Apesar da atuação fraca na estreia, Rafael Carioca foi mantido na lateral esquerda. A manutenção de Luiz Otávio como titular mostrou que o treinador quer usar um primeiro volante com pegada na marcação para dar equilíbrio ao meio-campo e não deixar a defesa exposta. Além da chegada de um centroavante mais experiente, a contratação de um jogador para ocupar essa posição e exercer essa função deve estar entre as prioridades da diretoria alvinegra, uma vez que Luiz Otávio não transmite confiança. As pontas parecem, enfim, definidas após exibições em que Felipe Ferreira e Marco Antônio demonstraram algum potencial.

Desde os primeiros minutos do duelo com o ABC, Marcelo Chamusca gritava à beira do campo pedindo organização e pressão na marcação para tirar os espaços do adversário com a bola. Nos dez primeiros minutos de jogo, o Botafogo chegou a ter mais de 60% de uma posse de bola absolutamente estéril, sem levar qualquer perigo ao gol do rival. Enquanto isso, o ABC apostou na velocidade para explorar o fragmentado sistema defensivo alvinegro. O gol que abriu o placar surgiu em uma saída de bola em que o time de Natal trocou passes rápidos e arrancou para o ataque com facilidade.

Análise ABC x Botafogo

A formação com Ricardinho adiantado no meio-campo novamente expôs algumas dificuldades coletivas da equipe e do experiente camisa oito. Jogador de 35 anos, o meia já mostrou qualidades no passe que fazem dele um bom organizador de jogadas. Contudo, as limitações físicas fazem dele refém da organização ofensiva e movimentação dos companheiros para ser útil. Em um time bagunçado, sem movimentos padronizados e dependente de individualidades, Ricardinho virou peça nula. Por vezes tentou dar profundidade pelo lado direito cobrindo as diagonais de Felipe Ferreira, por outras jogou como um segundo atacante ao lado de Matheus Nascimento.

Mais uma vez, o Botafogo foi um time torto e, consequentemente, previsível. A maior parte das jogadas aconteceu pelo lado esquerdo, dependendo de jogadas individuais de Rafael Carioca que, embora muito isolado, voltou a mostrar fragilidades no passes, cruzamentos e domínios de bola . No primeiro tempo, terminou com 67% de posse e apenas cinco finalizações, quatro de fora da área e nenhuma acertou o gol. Um retrato da falta de criatividade e repertório foi a quantidade de cruzamentos. Foram 19 bolas jogadas na área e apenas três encontraram um jogador do Glorioso. Durante a maior parte da etapa inicial foi difícil identificar uma estratégia para avançar no campo em busca do gol.

Análise ABC x Botafogo

Na volta do intervalo, Chamusca procurou corrigir os problemas da equipe. Warley e Marcinho entraram nos lugares de Luiz Otávio e Marco Antônio. Warley entrou como opção para aprofundar e buscar jogo de linha de fundo pelo lado direito. Com a saída do volante, Ricardinho foi recuado para ajudar na rotação da bola. Já sem a mesma velocidade e intensidade, o ABC jogou com a vantagem, travando o jogo e equilibrando a posse. Somente aos 25 minutos do segundo tempo o Botafogo fez o goleiro adversário trabalhar pela primeira vez. Marcinho e depois Warley tiveram as melhores chances do time no jogo. Com o adversário cada vez mais fechado e sem conseguir ameaçar, o gol de empate pareceu sempre algo distante, fruto do acaso. E assim aconteceu. Aos 57 minutos da etapa final, em escanteio que até Douglas Borges foi para área, Gilvan empatou o jogo e levou a disputa para os pênaltis. Mas o heroísmo rapidamente deu espaço à cruel realidade nas cobranças desperdiçadas por Marcinho e Cesinha.

Pelo segundo jogo consecutivo, Rafael Carioca foi substituído por Paulo Victor, evidenciando uma escolha questionável pela titularidade do camisa 6. Se o jovem não pode ser considerado solução para a posição pela instabilidade natural da idade, o novo reforço parece adicionar poucas qualidades ao elenco. Matheus Nascimento, outro jovem em formação física e técnica que não pode ser alçado ao lugar de salvador da pátria, saiu lesionado e deu lugar a Gabriel, atacante da base de 19 anos. Matheus Frizzo após um choque de cabeça também saiu de campo substituído por Cesinha.

Análise ABC x Botafogo

A eliminação e a atuação paupérrima acende um sinal de alerta em General Severiano. Há pouco mais de um mês da estreia na Série B, o Botafogo mostra estar longe de encontrar um time competitivo e o trabalho toma um caminho de involução. Longe de ser o único culpado, Marcelo Chamusca precisa encontrar um ponto de inflexão em sua passagem pelo Glorioso. No sábado, apenas a vitória interessa no clássico contra o Fluminense.

Números do jogo:

Posse de bola – BOT 65% x 35% ABC
Passes certos – BOT 442 (87% acerto) x 213 (74%) ABC
Bolas longas – BOT 23/36 (64%) X 23/58 (40%) ABC
Cruzamentos – BOT 8/33 (24%) x 2/6 (33%) ABC
Finalizações – BOT 14 (3 no gol) x 9 (3) ABC
Desarmes – BOT 23 X 15 ABC
Faltas cometidas – BOT 16 X 23 ABC

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas
Comentários