Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Análise: gols perdidos por Kalou e velhos erros marcam derrota do Botafogo para o Athletico-PR

39 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise Botafogo x Athletico-PR

No reencontro com Paulo Autuori, o Botafogo perdeu para o Athletico Paranaense por 2 a 0, gols de Renato Kayser e Léo Cittadini. Chances de gol desperdiçadas por Kalou afastaram o Alvinegro da vitória. Pior mandante do campeonato, time pode terminar a rodada a oito pontos da primeira equipe fora do Z4.

Precisando alcançar um aproveitamento superior aos 60% nos jogos restantes para sonhar com a permanência na Série A, Eduardo Barroca retornou à escalação mais conhecida pelo torcedor depois da tentativa fracassada de promover mudanças no jogo contra o Corinthians. A formação com dois atacantes de área, que no segundo tempo contra o Coritiba resultou no melhor futebol praticado sob o comando do treinador, segue apenas como uma opção desesperada para a segunda etapa.

Cícero continuou como a opção de criação no meio campo e Kalou voltou ao time titular, mesmo após atuações ruins nas últimas partidas. Recuperado de Covid, Bruno Nazário, líder da equipe no campeonato em assistências, dribles e passes decisivos, entrou com a responsabilidade de se aproximar de Pedro Raul e dar mais criatividade ao setor ofensivo.

Análise Botafogo x Athletico-PR

O Botafogo novamente fez um bom início de jogo. Com intensidade na marcação, alternando entre uma pressão média alta com os três atacantes e uma formação em duas linhas com a recomposição de Nazário e Kalou. No ataque, a troca de posição entre os três homens de frente foi constante. Com velocidade o Alvinegro conseguiu levar perigo ao time paranaense, sobretudo quando um passe vertical conseguiu encontrar a movimentação de um jogador botafoguense nas costas da defesa. Manter essa intensidade e velocidade durante todo o jogo tem sido um desafio que a equipe não consegue vencer.

Quando a defesa do Athletico se compactou tirando os espaços, o Botafogo valorizou a posse de bola com passes curtos a partir da defesa. Nesse momento, ficou visível outro problema crônico da equipe, a falta de chegada na área dos jogadores de meio campo. Com Caio Alexandre e Cícero voltando na base da jogada para fazer a saída de bola, não houve aproximação entre meio campo e ataque. O problema acontece recorrentemente porque é preciso liberar José Welison, que é útil no jogo sem bola mas tem capacidade de passe muito limitada, dessa fase do jogo. Os laterais também pouco agudos nas descidas ajudaram a agravar essa situação. Sem mexer em peças, Barroca tentou consertar esse erro no intervalo.

Análise Botafogo x Athletico-PR

O gol do Athletico surgiu de uma jogada que ilustra as merecidas críticas das quais Kalou tem sido alvo em sua passagem pelo Glorioso. O marfinense mostrou dificuldades para conduzir a bola em velocidade em uma situação de um contra um, foi desarmado com facilidade e na sequência o adversário marcou o gol. Jogador de passado vencedor, Kalou ainda mostra algumas qualidades e não se esconde em campo. Contudo, tem se mostrado muito abaixo da forma física ideal e desperdiçou três chances claras de gol no primeiro tempo.

Análise Botafogo x Athletico-PR

As chances desperdiçadas também dão o tom da campanha do Botafogo no campeonato. O time registrava antes do jogo a média de 10.6 chutes para marcar um gol e terminou inflando esse número. O Alvinegro está no G8 das equipes que mais criam grandes chances de gol no campeonato, são 50 no total, mas na mesma medida que cria, desperdiça.

O gol marcado pelo Furacão logo no início do segundo tempo, desmontou o planejamento de Barroca e trouxe à tona as alterações já conhecidas que são motivadas mais por desespero que por convicções. Babi, depois de entrar bem contra o Coritiba, não conseguiu repetir a boa atuação. Lecaros, sempre tão pedido pela torcida, teve mais tempo de jogo, mas, isolado pelo lado direito, mostrou um futebol individualista e previsível. Rhuan e Barrandeguy pouco fizeram para mudar o cenário do jogo. Cesinha estreou no lugar de José Welison, mas teve pouco tempo para mostrar futebol.

Análise Botafogo x Athletico-PR

Com todas essas mudanças e uma postura mais reativa do Athletico, o Botafogo fez uma segunda etapa com muita posse de bola (66%) e muitas finalizações (14). No entanto, em nenhum momento a equipe conseguiu exercer uma pressão efetiva sobre o adversário. O time paranaense jogou confortável na defesa e em contra-ataques esteve perto do terceiro gol. No fim, o resultado de 2 a 0 refletiu o desempenho das duas equipes em campo.

No domingo, em São Januário, o Botafogo jogará a vida no clássico dos desesperados contra o Vasco da Gama.

Números do jogo:

Posse de bola – BOT 61% x 39% CAP
Passes certos – BOT 448 (88%) x 256 (79%) CAP
Finalizações – BOT 24 (8 no gol) x 8 (4) CAP
Cruzamentos – BOT 38 (13 certos) x 10 (2) CAP
Chances claras – BOT 3 x 3 CAP

Fonte: Redação FogãoNET

Comentários