Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 00:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Análise: rápido e intenso, Botafogo de Chamusca atropela o Moto Club

14 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise Botafogo x Moto Club

Sem deixar espaço para surpresas, o Botafogo goleou o Moto Club por 5 a 0 no Castelão, em São Luís. Pedro Castro, Matheus Babi, Ênio, Warley e Matheus Frizzo balançaram as redes do time maranhense. O Alvinegro convenceu a torcida e mais uma vez mostrou evolução coletiva.

Com o time ainda em construção, Marcelo Chamusca seguiu lançando novas peças na equipe titular. Contra o Moto Club foi a vez do recém-chegado Marcinho assumir a titularidade. Conhecido do treinador dos tempos de Cuiabá, o jogador atua preferencialmente aberto pelo lado direito do campo, mas ganhou a vaga no meio campo com a saída de Bruno Nazário. Outra mudança entre os titulares foi a entrada do zagueiro Sousa improvisado na lateral esquerda, já que Hugo e Guilherme Santos não tinham condições de jogo.

Análise Botafogo x Moto Club

A partida começou da melhor maneira possível para o Glorioso. Logo no primeiro minuto, Ronald recebeu lançamento de Benevenuto e partiu para cima da defesa adversária até ser derrubado. Na cobrança de falta, Pedro Castro acertou o travessão e contou com a sorte para fazer seu primeiro gol com a camisa alvinegra. Jogando com a vantagem do empate para alcançar a classificação, o gol marcado no início deu ainda mais tranquilidade para o time.

A fragilidade do Moto Club também facilitou o trabalho do Botafogo. No espaço entre a defesa e o meio-campo do time maranhense, Warley, Marcinho, Ronald, e depois Ênio, tiveram liberdade para se movimentar e criar jogadas de ataque. Matheus Babi, que sofria cobranças de Chamusca para participar mais do jogo, também usufruiu dessa liberdade para fazer o trabalho de pivô no campo de defesa e ainda chegar na área para sofrer o pênalti que ele mesmo bateu para ampliar o placar.

Análise Botafogo x Moto Club

Chamusca trouxe uma novidade na saída de bola, dando mais responsabilidade para a dupla de zaga e o goleiro e subindo os laterais para uma segunda linha. A alteração ainda permitiu que Pedro Castro tivesse mais oportunidades de se aproximar do ataque para trabalhar na intermediária ofensiva. Com a entrada de Sousa na lateral esquerda, Jonathan precisou subir para auxiliar o ataque pelo lado direito, onde apareceu algumas vezes procurando jogadas de linha de fundo. Contra o Resende, em sua estreia, o lateral manteve sua posição na última linha e participou menos do jogo.

Análise Botafogo x Moto Club

O 2 a 0 conquistado no primeiro tempo permitiu ao Botafogo voltar do intervalo disposto a explorar o contra-ataque, a maior virtude apresentada nesses primeiros jogos da temporada. A posse de bola do Moto Club na segunda etapa ultrapassou os 60% sem que, no entanto, o jogo em nenhum momento escapasse do controle alvinegro. Logo aos seis minutos, o terceiro gol surgiu não de um contra-ataque, mas de uma jogada que em oito segundos e cinco toques saiu de Kanu, passou por Pedro Castro e Warley até terminar com a conclusão de Ênio para o fundo das redes.

O gol diminuiu o ímpeto do adversário, já incapaz de se organizar e buscar o resultado necessário. A expulsão de Gleydisson, aos 19 do segundo tempo, mudou de vez o panorama e transformou o jogo em um treino de luxo para o Glorioso. Cenário ideal para a estreia de outro reforço, o meia Matheus Frizzo. O jogador de bom passe e controle de bola entrou para distribuir a bola no campo de ataque. O Botafogo, então, dominou a posse de bola e impediu qualquer ameaça do Moto Club. Em nova jogada de passes rápidos, foi a vez de Ênio levantar para Warley marcar. E ainda houve tempo para Matheus Frizzo, livre na área, fechar o placar e selar a goleada em 5 a 0.

Análise Botafogo x Moto Club

O jogo mostrou um Botafogo muito consciente nas movimentações e troca de passes. Velocidade na transição é a principal característica que Chamusca quer implementar em seu trabalho. A marcação intensa em bloco médio, muito compacta e ajustada, concedeu pouco espaço para o adversário. A partida serviu também para apresentar novas peças e apontar, ainda com ressalvas pelo pouco tempo de observação, certa profundidade no elenco que vai encarar o desafio de colocar o clube de volta na elite do futebol brasileiro. Com maturidade, entrosamento e a entrada de novos reforços, o time tem potencial para crescer e fazer uma temporada bem diferente da anterior.

No próximo sábado (13), o Botafogo buscará a segunda vitória no Campeonato Carioca contra o Bangu, no Nilton Santos.

Números do jogo:

Posse de bola – BOT 57% x 43% MOT
Passes certos – BOT 515 (90%) x 362 (86%) MOT
Cruzamentos – BOT 2/10 (20%) x 5/19 (8%) MOT
Bolas longas – BOT 31/52 (60%) X 30/56 (54%) MOT
Finalizações – BOT 13 (8 no gol) x 11 (1) MOT
Finalizações dentro da área – BOT 5 X 4 MOT
Chances claras – BOT 4 x 0 MOT
Desarmes – BOT 10 X 20 MOT

Fonte: Redação FogãoNET

Comentários