Diretor de Desenvolvimento do Futebol da CBF (isso mesmo), Washington saiu completamente do limite do seu cargo e da ética nesta quarta-feira e foi mais um adversário do Botafogo na Copa do Brasil, classificado para a segunda fase com o empate em 1 a 1. Quando o Caxias-RS reclamou um pênalti no primeiro tempo, em lance que a bola bateu no braço do zagueiro Marcelo Benevenuto, as câmeras da TV Globo flagraram o Coração Valente no banco de reservas do Caxias mostrando a jogada em um celular para a comissão técnica.

Banner da loja do FogãoNET para faixa japonesa

A absurda atitude do diretor da CBF, uma clara interferência externa em jogo sem VAR (na Copa do Brasil só se inicia nas oitavas-de-final), serviu para inflamar o adversário do Botafogo, que protestou veementemente contra a arbitragem.

Segundo a transmissão da TV Globo, Washington assistiu ao primeiro tempo inteiro próximo ao banco de reservas do Caxias, clube no qual começou a carreira. Na etapa final, após a polêmica, subiu para um camarote.

O comentarista de arbitragem da TV Globo, Sandro Meira Ricci, criticou a atitude do ex-jogador de Fluminense e Athletico-PR.

– Isso está errado, interfere no controle do jogo da arbitragem. Não poderia estar ali – afirmou.

Resta saber qual será a posição da CBF.

Mais absurdos

Não foi só isso que aconteceu de absurdo no jogo em Caxias do Sul. Na etapa final, o auxiliar-técnico do Caxias, Jeferson Ribeiro, foi flagrado pela transmissão do jogo com um rádio transmissor, escondendo-se assim que percebeu que estava sendo filmado. Ele poderia estar conversando com o técnico Rafael Lacerda, que estava suspenso, cometendo uma grave infração.

Além disso, após o término do jogo, jogadores e dirigentes do Caxias cercaram o trio de arbitragem, revoltados com o suposto pênalti relatado acima. A Brigada Militar demorou a entrar em campo e Diogo Aver, gerente administrativo do Caxias, agrediu o árbitro Lucas Canetto Bellote com uma joelhada (veja abaixo).

Fonte: Redação FogãoNET