Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

X

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

10/04/21 às 21:05 - Raulino de Oliveira

Escudo Volta Redonda
VRE

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

04/04/21 às 17:00 - Giulite Coutinho

Escudo Botafogo
BOT

1

X

1

Escudo Portuguesa
POR

Escalação e alterações de Barroca contra o Corinthians foram preocupantes: não há mais tempo para Botafogo errar

48 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Eduardo Barroca - Botafogo x Corinthians
Vitor Silva/Botafogo

O discurso praticamente unânime na mídia é que não se pode cobrar muito de Eduardo Barroca, pela quantidade de erros do Botafogo na temporada, pelo excesso de treinadores, pela delicada situação no Campeonato Brasileiro e pelo elenco mal formado. Todos esses fatores são verdadeiros, mas não se pode isentar o treinador, que sabia onde estava se metendo quando aceitou a proposta do clube.

Barroca é um profissional sério, dedicado, compromissado e identificado com o Botafogo. Chegou cheio de disposição, fez sacrifícios pessoais, como seguir trabalhando mesmo com parte do pulmão prejudicada pelo coronavírus ou pouco ver a família. Mas não pode fazer o que fez na derrota por 2 a 0 para o Corinthians.

Victor Luis na linha alta?!

O técnico teve a semana inteira para treinar. Quando se soube que a escalação previa Victor Luis de ponta todo botafoguense logo se espantou e se assustou. Victor é um lateral em má fase e, mesmo em seus melhores momentos, sempre foi defensivo, de força e garra. Não tem cacoete ofensivo, habilidade para drible, velocidade para chegar à linha de fundo ou criatividade para armar. Era óbvio que não funcionaria.

O meio com Cícero, José Welison e Caio Alexandre também causava preocupação, pela lentidão e pouca mobilidade. Somando com Victor Luis e Warley, um ponta que mais compõe o meio que ataca, o Botafogo não tinha qualquer força ofensiva.

Esperava-se que Barroca corrigisse os problemas no intervalo. Não aconteceu. O treinador não teve a leitura que Rafael Forster estava mal e não achava Gustavo Mosquito no jogo. Preferiu tirar Victor Luis, que poderia ter voltado para a lateral. Encheu o time de atacantes.

Não basta só colocar atacantes

O Botafogo, que no primeiro tempo não construía, passou a ter três atacantes (Kalou, Matheus Babi e Pedro Raul), quatro com Lecaros, cinco com a entrada de Rhuan na lateral. O meio virou uma bagunça (o que foi a atuação de Éber Bessa?), a zaga ficou ainda mais exposta e ficou claro que o Corinthians estava mais perto de fazer o segundo que o Botafogo empatar.

Esse foi o time do Botafogo no fim da partida:

Análise Botafogo x Corinthians

O tempo para o Botafogo é cada vez mais curto no Campeonato Brasileiro, mas agora há espaço para treinar. Barroca não pode mais tentar experiências sem sentido em jogos e tem que encontrar soluções o quanto antes, para superar todos os problemas do clube e evitar um rebaixamento cada dia mais difícil de ser evitado.

Fonte: Redação FogãoNET

Comentários