Pitacos: Botafogo quebra incômodo tabu e se fortalece; Lucas Piazon cresce demais; árbitro e VAR merecem longa punição  

75 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Pitacos: Botafogo quebra incômodo tabu e se fortalece; Lucas Piazon cresce demais; árbitro e VAR merecem longa punição  
Vitor Silva/Botafogo

* O dado não é nosso, nem é novo, e foi levantado pelo jornalista Pedro Dep, do Setor Visitante. Desde 2016, quando derrotou o Grêmio em Porto Alegre na última rodada do Campeonato Brasileiro, o Botafogo não vencia um time grande do Brasil como visitante (sem contar clássicos). A vitória veio em um jogo louco, improvável, imprevisível, emocionante e com final feliz para o Alvinegro.

* Quando Sávio Pereira Sampaio, chamado pelo VAR, marcou o pênalti inexistente (um escândalo) e expulsou Philipe Sampaio, a impressão quase unânime foi que o jogo acabou ali. O Internacional é forte em casa, carregava longa invencibilidade e teria quase 90 minutos com um jogador a mais. A impressão se manteve com o segundo gol, mas se desfez quando Vinícius Lopes descontou. O Botafogo voltou com tudo ao jogo. E o Inter se enfraqueceu com a saída de seus principais jogadores (Alan Patrick e Wanderson).

* Merecem destaque a solidez defensiva, a aplicação e a coragem do Botafogo, que em momento algum se entregou. Teve várias grandes atuações individuais, mas desta vez vamos valorizar Lucas Piazon. Tido como lento e sem vibração inicialmente, ele já tem se mostrado outro jogador, vibrante, participativo, determinado. E com capacidade técnica, leitura de jogo e inteligência, além de bom na bola parada. Uma pena sair suspenso e com o ombro deslocado, que retorne logo.

* Sávio Pereira Sampaio e Rafael Traci merecem longa e severa punição. Estragaram um grande jogo, erraram demais. O pênalti é um absurdo, mas há várias outras falhas. A origem do pênalti é um lateral para o Inter em que parece que a bola, com Kayque, não saiu. O segundo gol surge após o árbitro trocar um escanteio claro para o Botafogo por um tiro de meta para o Inter. Joel Carli leva cartão por fazer uma falta em jogada que havia impedimento claro e não foi marcado. Houve surreais 26 minutos de acréscimo. O Inter ainda reclama de um possível pênalti de Klaus e do impedimento milimétrico no gol anulado de Mercado.

* A confusão que a arbitragem causou foi tão grande que influenciou no estado de ânimo de todos os presentes, como jogadores, comissão técnica e torcedores. Luís Castro foi punido com expulsão, assim como Philipe Sampaio, Mercado, Lucas Piazon e David. Há risco de mais punição no STJD. E os árbitros, como ficam? Injustificável o que fizeram no Beira-Rio.

* Por que a imprensa tratou a confusão ao fim do jogo como “iniciada por Lucas Piazon”? Por que ignorou que o jogador do Botafogo recebeu provocação dos rivais após o gol anulado de Mercado? Por que batem tanto na tecla que Piazon provocou os adversários se não há nenhuma imagem que mostre isso, mesmo com 500 câmeras? Por que dá tanta ênfase à confusão? Por que não fala da irritação e da não aceitação do Internacional com a derrota? Por que não cobriu nem repercutiu a bela recepção da torcida do Botafogo no aeroporto? A mídia precisa parar e repensar que tem sua parcela no aumento de casos de violência no futebol recentes.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas