Pitacos: Ferj beneficia Flamengo e Fluminense nas semifinais e prejudica Botafogo; poucos jogadores aproveitaram chance no Carioca

88 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Pitacos: Ferj beneficia Flamengo e Fluminense nas semifinais e prejudica Botafogo; poucos jogadores aproveitaram chance no Carioca
Vitor Silva/Botafogo

* A definição das datas das semifinais do Campeonato Carioca é uma prova de como funciona a Ferj. A entidade beneficiou Flamengo e Fluminense e prejudicou o Botafogo em uma tacada só. Precisava disso?

* O benefício ao Flamengo veio na marcação antecipada de seus jogos para quarta-feira e domingo. Assim, o time não perderia jogadores convocados para seleções. Faltou a Ferj combinar com a CBF. Afinal, nenhum atleta rubro-negro foi chamado. Ainda assim, tem Arrascaeta na seleção uruguaia. O clube, que tanto reclamou ano passado, conseguiu o auxílio da federação carioca para não ter desfalques desta vez.

* Já o Fluminense ganhou da Ferj mais dias de descanso e preparação para enfrentar o Botafogo, com a mudança do jogo de sábado para segunda-feira. Afinal, antes terá que decidir sua vida quarta-feira contra o Olimpia, no Paraguai. Lembram do Botafogo na Libertadores em 2017? A Ferj não deu qualquer benefício, pelo contrário. O time alvinegro teve que jogar semifinal e final da Taça Rio com reservas, além de ter enfrentado o Barcelona no Equador em uma quinta à noite e já no domingo ter duelado com o Flamengo na semifinal do Campeonato Carioca.

* Os prejuízos para o Botafogo serão financeiros e técnicos. Em seu jogo como mandante, o clube perderá o fim de semana e terá que jogar na segunda-feira às 20h no Estádio Nilton Santos. Péssimo para a torcida. Dentro de campo, deverá perder seu goleiro (Gatito Fernández) e seu centroavante titular (Matheus Nascimento). A Ferj parece não estar nem aí para o Botafogo. Nem para o Campeonato Carioca.

Banner da loja do FogãoNET

* Terminada a primeira fase (Taça Guanabara), com o empate em 2 a 2 com o Audax, poucos jogadores aproveitaram a chance no laboratório alvinegro. É possível citar Matheus Nascimento e Erison como destaques. Raí, Kayque e Lucas Mezenga tiveram bons momentos. Rikelmi, Maranhão e Kawan fizeram seus primeiros jogos e deram alguma esperança. O restante deixou a desejar. Isso sem contar, é claro, os remanescentes de 2021 que já estão consolidados, como Gatito Fernández, Daniel Borges, Joel Carli, Kanu, Chay e Diego Gonçalves.

* O Botafogo terá Luís Castro como treinador, para tristeza da imprensa paulista, que esperneou e debochou quando o Al-Duhail anunciou que não liberaria o português sem o pagamento da multa rescisória. O tempo deu razão ao Alvinegro e a John Textor, entusiasta da contratação. O técnico terá um enorme desafio, mas traz expectativa e esperança ao clube de realizar um bom Campeonato Brasileiro e ter um projeto vitorioso nos próximos anos.

* Quer dizer que Saravia aceitou proposta, fez exames médicos e depois seus empresários aumentaram a pedida? O Botafogo está correto em não ceder e não aceitar a pressão. É um bom jogador, mas é possível buscar outros no mercado. Combinado não sai caro.

* Além de Philipe Sampaio e Lucas Piazon, o Botafogo deve ter mais seis reforços para o início do Campeonato Brasileiro. Ainda parece pouco. O time e, principalmente, o elenco, precisam de mais peças de nível para suportar a temporada.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas