Pitacos: arbitragem prejudica Botafogo em jogos de seis pontos; Pedro Castro como meia não dá

41 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Árbitro Douglas Marques das Flores em Operário x Botafogo | Série B do Campeonato Brasileiro 2021
Reprodução/Premiere

* Pedro Castro começou o ano como destaque no Botafogo como volante, vindo de trás, armando e acertando chutes de longe. Marcelo Chamusca logo passou a utilizar como meia. Não deu certo. Eis que Enderson Moreira comete o mesmo erro na derrota por 1 a 0 para o Operário, nesta quinta-feira, pela Série B.

* O jogador já não vive boa fase técnica, mas como volante ao menos vinha combatendo. Como meia, ficou perdido, muitas vezes como um segundo atacante. Não tem a mobilidade, a agilidade e o poder de criação necessários.

* Enderson Moreira pode ainda estar fazendo testes – e até errando – no Botafogo. É natural, pois acabou de chegar. Mas o tempo é curto, vai precisar acelerar nesses ajustes e nas soluções ofensivas. Não fez sentido Warley, que entrou bem nas últimas partidas, não ir a campo.

* Chay fez muita falta. É o ponto de lucidez, categoria e inteligência no meio. Uma pena, mas o Botafogo não tem outro jogador com essas características no elenco, o que foi determinante na derrota.

Mochilas, bolsas e carteiras da coleção FogãoNET da Estilo Piti

* Diego Loureiro falhou no gol do Operário, é óbvio. Mas não pode ser crucificado. Tem seu valor, tem potencial e vem de bons jogos. Vai precisar ficar mais atento a cruzamentos.

* O Botafogo tem de saber usar melhor e preservar sua joia Matheus Nascimento. Por que um centroavante de 17 anos entra com um time perdendo, contra um adversário retrancado e gramado encharcado? Condições completamente desfavoráveis. É lógico que jogador deve se acostumar a diferentes situações, mas ele é muito novo e está sendo lapidado.

* Por fim, a arbitragem. O Botafogo novamente foi prejudicado em um jogo de seis pontos na Série B. Foi assim contra Náutico, Sampaio Corrêa e Operário. Isso faz muita diferença. São pontos que podem fazer falta no fim do campeonato e gerar prejuízo inestimável. A má vontade do árbitro e dos assistentes durante toda a partida contra o Operário foi gritante, marcando “perigo de gol”, invertendo faltas, permitindo a cera do adversário e, no final, não marcando o pênalti de Fabiano. Inexplicável.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas