Pitacos: próximo passo da evolução do Botafogo é aprender a matar os jogos; Tchê Tchê e Patrick de Paula mostram que tempo é importante 

44 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Tchê Tchê em Botafogo x Red Bull Bragantino | Campeonato Brasileiro 2022
Vítor Silva/Botafogo

* O Botafogo segue dando sinais claros de evolução. O time mais forte e encorpado agora é capaz também de vencer em casa jogando bem. Como foi na vitória por 2 a 1 sobre o Red Bull Bragantino, nesta quarta-feira, no Estádio Nilton Santos, pelo Campeonato Brasileiro-2022.

* A sensação de tropeços em casa é muito por conta do primeiro turno. O time até perdeu três jogos recentemente no Nilton Santos, mas foram contra Palmeiras, Internacional e Flamengo, três adversários bem fortes.

* Contra o Red Bull Bragantino, era de se esperar que o Botafogo jogasse bem, vencesse e convencesse. Foi o que aconteceu. Mas não sem sustos.

* O próximo estágio da evolução do time, para se tornar ainda mais equilibrado, é saber matar os jogos. O próprio Luís Castro se mostrou impressionado em como as partidas podem se descontrolar no futebol brasileiro. Então, é importante aproveitar os momentos de superioridade para definir o placar.

* Contra o Fluminense, o Botafogo já viveu essa situação, ao ter 2 a 0, jogo aparentemente controlado e chances. Uma fagulha de um pênalti mandrake reacendeu o jogo. Diante do Bragantino, a vantagem era de apenas 1 a 0 e o time desperdiçou bons ataques, com superioridade numérica. Dois exemplos foram os contra-ataques desperdiçados por Victor Sá e Júnior Santos. Acabou levando o empate e teve que correr atrás de outro gol, que saiu com Tchê Tchê.

* Ficou uma impressão que Luís Castro poderia ter mexido antes do gol de empate. Na entrevista coletiva, o treinador revelou que era sua intenção, mas não deu tempo. A substituição que mudou o jogo novamente a favor do Botafogo foi a entrada de Patrick de Paula no lugar de Victor Sá.

* Aqui cabe uma reflexão. Cada jogador tem seu tempo e há fatores diferentes para a adaptação de cada um. Tchê Tchê não chegou bem, hoje dá alma ao meio-campo, fez o gol da vitória. Patrick de Paula oscilou, ficou um tempo fora, mas tem potencial e qualidade. Mostrou mais uma vez com boa saída de bola, passes verticais e cabeça erguida. Às vezes é preciso apostar mais nos jogadores e dar tempo, em vez de descartá-los de imediato. Os dois ainda serão bastante úteis.

* Legal ver também a alegria de Luís Castro na coletiva. Mais leve e cheio de sorrisos, o treinador português parece ter tirado um peso das costas. Ele é outro que precisou de tempo, o que terá com a pré-temporada de 2023. Antes, é torcer para o Botafogo fazer uma reta final perfeita e conseguir a tão sonhada vaga para a Libertadores, que ainda é difícil, mas cada vez mais possível.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas