Um papo retíssimo sobre o momento do Botafogo

80 comentários

Blog do Azambuja

Blog do Azambuja

Compartilhe

Um papo retíssimo sobre o momento do Botafogo
Vítor Silva/Botafogo

Confesso que pensei muito se deveria ou não escrever sobre esse assunto novamente e de maneira mais incisiva, mas resolvi seguir o compromisso que tenho com a minha própria consciência. Ao longo desse tempo em que venho falando sobre o Botafogo, já fui tachado de muitas coisas positivas e negativas, mas certamente a acusação de querer ensinar a torcida como torcer está no Top 3.

Obviamente, não quero ensinar ninguém a torcer, mas ao mesmo tempo me sinto no direito de explicitar a maneira que, a meu ver, é a mais correta. Partindo desse princípio, preciso dizer que ver esse elenco ser vaiado me causa um sentimento muito ruim. Não falo apenas do fato de ser algo injusto por tudo que esses caras estão nos oferecendo, mas também por ser algo longe de qualquer traço de inteligência ao considerarmos o contexto atual do Botafogo. Cada um faz o que quer, mas o que leva uma parcela da nossa torcida a acreditar que vaiar um time invicto há 18 jogos terá algum efeito positivo? Qual o sentido de jogar nesse elenco todas as nossas frustrações históricas?

Para uma parte da torcida, esse elenco do Botafogo deve ser medido com uma régua que nenhum time do Brasil é. Na visão desses torcedores, parece existir algo que obrigue o Botafogo a ganhar todos os jogos do ano para que exista algum tipo de compensação para o volume de sofrimento que o clube já causou em todos nós. Não creio que essas pessoas tenham a noção exata de que tudo que estamos vendo desde o final do Campeonato Carioca é algo absolutamente EXTRAORDINÁRIO.

Muitos confundem a tentativa de ser ponderado com uma suposta acomodação com o fracasso, e não consigo nem colocar em palavras o quão equivocada essa visão é. Todos que fazem suas análises tendo como base a realidade sabem que ganhar qualquer campeonato nesse início de SAF é algo muito fora do planejado. É preciso que fique clara a noção de que, se ganharmos algo, essa conquista será fruto única e exclusivamente da qualidade e entrega acima do normal que os profissionais da SAF estão conseguindo ter este ano.

Muitos ainda não se deram conta de que estamos diante de uma oportunidade que talvez demore muitos outros anos para estar em nossas mãos novamente. Ganhar o Campeonato Brasileiro é algo dificílimo e será ainda mais no futuro próximo. Estamos nos qualificando para brigarmos na parte de cima de maneira sustentada ao longo dos anos, mas nada garante que conseguiremos estar em uma posição tão favorável quanto estamos hoje para ganhar algo verdadeiramente relevante.

O momento nos pede o equilíbrio certo entre paixão e pragmatismo. Já ficou mais do que claro que a prioridade é o Brasileirão, em detrimento da Sul-Americana, correto? Sendo assim, o mais inteligente é continuar dando apoio ao time, mas sem nunca esquecer que esse mesmo elenco e técnico serão os responsáveis por nos dar o título do Campeonato Brasileiro. Em bom português, devemos torcer para que aconteça o melhor na Sul-Americana, mas se não acontecer, precisamos ser fonte de apoio para que esses caras sintam que sabemos qual a real prioridade de TODOS nós. Posso não concordar com uma escalação, posso me incomodar com a quantidade excessiva de chances claras de gol que não estão sendo aproveitadas de maneira efetiva, mas será que isso é mesmo suficiente para que eu me desvie do objetivo maior?

Não adianta eu ter a mentalidade e a cobrança esperada para um torcedor de um clube acostumado com grandes conquistas, se nem mesmo a primeira taça da retomada o meu conseguiu. Estamos vivendo um processo longo, trabalhoso e custoso, nunca se esqueçam disso.

Já disse e repito: nós temos um papel importantíssimo para que no final do ano o Botafogo seja campeão, e não saber entender o contexto pode atrapalhar. Obviamente, não seremos os principais culpados se não ganharmos, mas me parece muito melhor evitarmos qualquer tipo de participação nessa eventual frustração.

Notícias relacionadas