A eficiência do Botafogo está em não depender de um jogador

10 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

A eficiência do Botafogo está em não depender de um jogador
Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo teve lampejos no começo da Série B do Campeonato Brasileiro. Mas na maioria dos bons resultados que conseguiu com Marcelo Chamusca, e não foram muitos, tinha como base a atuação individual de algum jogador. Seja nos chutes de Pedro Castro no Campeonato Carioca, ou na Chaydependência do começo da Série B, o Alvinegro sempre dependia de alguém.

Com Enderson Moreira o Botafogo deixou de depender de alguém. Mas passou a depender de algo: do jogo coletivo. Um exemplo disso foi na goleada sobre o Londrina. Apesar de terem contribuído com a vitória, Chay e Rafael Navarro não foram protagonistas. Mas mesmo assim o time ganhou. Além disso jogou bem. Logicamente que não estou tirando a importância de ambos para o time.

Os laterais vem ganhando cada vem mais importância no Botafogo. Mas cada um com suas caracetrísticas. Carlinhos tem tudo para funcionar como um verdadeiro ala, tendo a proteção dos volantes. Barreto é um cão de guarda com alta capacidade de risco para quem se meter na defesa alvinegra. Aliás, como ela progrediu. Daniel Borges só vai na boa. Se for preciso se sacrifica e vira terceiro zagueiro em questão de segundos.

Botafogo entende a hora certa de ganhar o jogo

Rafael Navarro e Chay em Botafogo x Cruzeiro | Série B do Campeonato Brasileiro
Rafael Navarro e Chay desequilibraram muitos jogos

Ainda na defesa a ausência de Joel Carli sempre preocupa. Em outro post precisamos falar de Gilvan. Pode ser problema em jogos de mais exigência. Contra o Londrina a expulsão de um jogador facilitou a tarefa.

O Botafogo de hoje dá gosto de ver jogar. Não por ser brilhante ou por dar espetáculo. Mas por saber o que faz em campo, por conseguir se fechar e ter a maturidade de entender a hora de ganhar os jogos. Assim o time vai indo ponto a ponto em busca de seu objetivo.

Notícias relacionadas