O Botafogo precisa pensar grande sobre o novo técnico para não arriscar o ano. A manutenção de Alberto Valentim após o término do Campeonato Brasileiro do ano passado claramente respeitou o critério de não ter grandes gastos e fazer planos grandiosos em um período de transição entre o atual modelo de gestão e o de empresa. Porém, o mau trabalho do treinador, que não conseguia organizar minimamente o time, antecipou a modificação. Contudo, é preciso inteligência.

Quis os deuses do futebol que a demissão viesse após um mau desempenho em um clássico que não valia mais nada na Taça Guanabara. Poderia ter vindo alguns dias antes, com o ano sendo colocado em risco diante do Caxias na Copa do Brasil. O Botafogo esteve sempre perto da eliminação. Mas se classificou.

Novo técnico do Botafogo precisa tocar o projeto de 2020

Agora Alberto Valentim é passado e a atual diretoria vai escrever mais uma página na história dos treinadores do Botafogo. Entretanto, é preciso um pouco de ousadia mesmo ainda enfrentando sérios problemas financeiros.

Contratar um treinador nível Alberto Valentim para suprir uma lacuna somente no período de transição pode custar muito caro por conta da Copa do Brasil. O Botafogo deve aproveitar a ajuda do destino e já buscar um treinador em condições de tocar os futuros projetos do clube. Dinheiro com perspectiva, e hoje o clube tem, se consegue, embora não seja fácil. O Botafogo não pode colocar em risco parte do orçamento do ano por economia porca. Felipe Tigrão e Aparecidense não nos deixam mentir.