Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Entenda como o jogo com o Cruzeiro pode tirar último trunfo de Chamusca e derrubá-lo no Botafogo

51 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Marcelo Chamusca no treino do Botafogo em julho de 2021
Vítor Silva/Botafogo

Marcelo Chamusca está longe de ser unanimidade no Botafogo. Se a torcida pede a sua saída, na diretoria a demissão não é consenso. Mas a derrota de 2 a 1 para o CRB prejudicou bastante a credibilidade do comandante junto a algumas peças importantes no clube. Uma derrota para o Cruzeiro vai tirar o último trunfo de Marcelo Chamusca no comando do Alvinegro: os cem por cento de aproveitamento jogando em casa. O Glorioso encara a Raposa neste sábado no Estádio Nilton Santos.

Com Marcelo Chamusca no comando o Botafogo fez três jogos em casa nesta Série B. Bateu o Coritiba por 2 a 0 no Niltão. Depois teve que jogar no Estádio Raulino de Oliveira e mesmo assim venceu os dois compromissos por lá: 3 a 0 sobre o Remo e 1 a 0 diante do Vitória.

Os defensores de Chamusca se apegam a isso para pregar a sua permanência. Hoje o Botafogo soma 12 pontos em nove jogos e aparece na nona posição. Se tivesse jogado a partida adiada que teria com o CSA, em casa, e mantido os 100% de aproveitamento, o time estaria mais perto do G-4.

Mercado dificulta troca no comando

Marco Antonio comemora o gol contra o Coritiba. O primeiro em casa nesta Série B – Foto: Vitor Silva/Botafogo

Outros fatores se juntam aos argumentos de quem defende a permanência de Chamusca: a falta de dinheiro e de opções no mercado. Além disso a Série B deste ano limita a duas as trocas de técnico.

Os argumentos ainda são fortes para a diretoria. Mas podem mudar de figura dependendo do resultado contra o Cruzeiro. A perda dos cem por cento em casa, ainda mais se for com uma derrota, pode acabar derrubando de vez Marcelo Chamusca.

Notícias relacionadas
Comentários