Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Mufarrej precisa ter a dignidade de protestar contra arbitragem

0 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Nelson Mufarrej saiu em defesa de Paulo Autuori no Botafogo
Reprodução/ESPN Brasil

Quem não luta pelos seus direitos não é digno deles. Essa máxima deveria ser adotada pelo presidente Nelson Mufarrej. De forma disparada ele é o presidente do Botafogo menos atuante entre os grandes clubes brasileiros. Parece a cada dia que passa uma figura mais decorativa. Entendo que ele tenha percebido que agir muitas vezes possa ser algo maléfico para o Glorioso. Afinal de contas, sua gestão não prima pela eficiência. Muito pelo contrário. Mas tem momentos que a dignidade impede um homem de ficar imóvel. E o Botafogo atravessa este momento na arbitragem.

Instagram do FogãoNET (@fogaonet)


O erro cometido pela arbitragem contra o Bahia tirou um ponto do Botafogo. Esse ponto, por exemplo, teria feito o time ficar fora da zona de rebaixamento na rodada. Assim daria um pouco mais de tranquilidade para a primeira semana de Ramón Díaz no Botafogo. Mas o que o presidente do Botafogo vai fazer? Nada.

Mufarrej não dá mais entrevistas, não fala mais como presidente do clube. O Botafogo parece um clube a deriva, sem comando. Os estragos feitos por um presidente que deixa visível não ter a menor competência para estar no cargo vem custando muito caro. Mas pode custar ainda mais se o clube deixar a arbitragem agir livremente sem reclamar.

Só Mufarrej não fala

Arbitragem Bahia x Botafogo
Arbitragem prejudicou Botafogo contra o Bahia

Comentaristas de arbitragem, jornais, sites, comentaristas, enfim, todos estão colocando na conta do árbitro um ponto perdido pelo Botafogo no domingo. E não foi a primeira vez que isso aconteceu. O único quieto é o presidente do clube. Se o snehor resolver falar agora, já será com traso. Mas antes tarde do nunca.

Se o presidente não conseguiu ao longo dos três anos montar um elenco acima da média, se não conseguiu fazer contratações eficientes, se troca de técnico como quem troca de roupa, que pelo menos se manifeste como dirigente para as instituições. Que não deixe a arbitragem fazer mais estragos. Tenha dignidade de exercer seu cargo e proteste.

Notícias relacionadas
Comentários