Não é segredo para ninguém que o ex-presidente Carlos Eduardo Pereira não foi favorável à troca de comando no departamento de futebol do Botafogo na virada de 2017 para 2018, quando Nelson Mufarrej assumiu a presidência do clube e entregou a pasta para Gustavo Noronha e Anderson Barros. Antes disso, o vice-presidente de futebol era Antônio Lopes, seu homem de confiança e quem tem o trabalho exaltado até hoje pelo atual VP geral de General Severiano.

Em entrevista ao canal Botafogo no Coração, no fim de abril, CEP também mostrou-se ser leal a outro dirigente que integrava seu Conselho Diretor: Marcio Padilha, que foi afastado da vice-presidência de comunicação após causar polêmica ao afirmar que a “torcida do Botafogo tinha abandonado o clube”. Segundo o ex-mandatário, o episódio deve ser relevado, sem rancor dos alvinegros.

Ainda na conversa com Lucas Frazão, no YouTube, CEP apontou qual foi seu principal erro enquanto liderou o Botafogo no triênio 2015-2017. De acordo com o vice de Mufarrej, o Glorioso poderia ter um desfecho no Campeonato Brasileiro de 2017 “diferente” – o time terminou a competição na 10ª colocação e ficou sem a vaga na Libertadores do ano seguinte.

Confira abaixo os trechos da entrevista:

Mudança no departamento de futebol para 2018

– Eu respeito a mudança porque ela é própria da nova equipe que entrou. O Lopes foi uma pessoa que eu aprendi muito, lidei com ele durante três anos. Um profissional extremamente vitorioso que ganhou tudo que participou. Tem experiencia em todos os campos, ganhou de Copa do Mundo à Copa do Brasil e Libertadores. Tem experiência internacional, conhece todos os aspectos do futebol, extracampo, preparação física, nutrição, enfim, tenho como um amigo e foi uma pessoa que em momento nenhum me decepcionou. E descobriu grandes jogadores, montou um planejamento corretíssimo. Trouxe jogadores que estavam esquecidos e abandonados e eles renderam no Botafogo. Vou citar alguns: Willian Arão, quem conhecia ele antes? Victor Luiz e Diogo Barbosa estavam largados e renderam muito bem. João Paulo está aí hoje, um grande jogador… Gatito veio e já ia para um outro clube. Lopes ligou pro pai do Gatito, que foi jogador dele, e disse: “Preciso do seu filho no Botafogo”. E por aí vai… Quem conhecia Bruno Silva? Bruno Silva foi um dos maiores negócios que o Botafogo fez em termos de venda. Vendeu 20% por R$ 5 milhões e ainda guardou 20%. Foram coisas sensacionais. A mudança é uma opção exclusiva de quem vai trabalhar.

Foi contra a saída de Antônio Lopes?

– Se eu ficasse, ele ficaria comigo. Mas acho que isso é uma questão de confiança entre as pessoas que estão trabalhando. As pessoas que entraram preferem uma outra estrutura e é perfeitamente natural que tenham trocado. Se você me perguntar como seria se eu voltasse amanhã, é claro que chamaria ele de volta.

Principal erro da gestão

– Fim de 2017, acho que esse foi meu principal erro. Eu devia ter me mudado lá para o departamento de futebol e assumido a gestão integralmente. Acho que a gente teria um fim de 2017 diferente.

Polêmica do ex-dirigente Marcio Padilha com a torcida do Botafogo 

– Marcio Padilha é um amigo. Uma pessoa querida que se desculpou com as pessoas, estava extremamente cansado, desgastado pelas pressões imensas que todos nos sofremos. Reconheceu que foi infeliz numa postagem. Quem nunca errou? Quem nunca nunca foi infeliz numa colocação? Eu mesmo já fui várias vezes e as pessoas relevaram. Enfim, acho que é isso. Todos nós temos que relevar, seguir adiante e não sermos rancorosos. Ele é um botafoguense apaixonado, está feliz com a netinha dele, um beijo pra Laís. Vamos em frente, vamos desculpar o Padilha. Ele certamente não guarda nada de mal da torcida do Botafogo. É um botafoguense de coração.

Fonte: Redação FogãoNET e Botafogo no Coração (YouTube)