Carlos Eduardo Sangenetto
01/06/2017
Rio de Janeiro (RJ)

Não foi a primeira, nem a segunda, nem a terceira que vez que os torcedores do Botafogo se irritaram com a bola presa do Guilherme, recentemente, em momentos cruciais de jogos importantes do Fogão. Vimos isso acontecer neste empate com o Sport, na Ilha do Retiro.

Guilherme não toca a bola para Rodrigo Pimpão em ataque do Botafogo contra o SportGuilherme finalizou mal em vez de passar a bola para Pimpão, livre de marcação (Foto: Reprodução/TV Globo)

Ser fominha, não passar a bola para um companheiro melhor posicionado, não combina com esse Botafogo que você coloca muito bem em campo, Jair. Um time que se defende bem e que sabe jogar sem a bola como poucos no Brasil não pode perder as poucas oportunidades de gol que surgem durante uma partida. Nessa hora que o Alvinegro é cruel com seus adversários e liquida o placar. Sabemos disso.

É bom ressaltar, é claro, que Guilherme já foi extremamente importante e decisivo com suas jogadas individuais. Podemos exemplificar aqui o gol contra o Atlético Nacional, em Medellín, e a virada sobre o próprio Sport no Rio. Mas nem sempre a solução, mesmo que isso possa parecer implícito por sair do banco de reservas algumas vezes, é resolver o ataque sozinho. Pimpão poderia ter decidido a parada com tranquilidade em Pernambuco.

Portanto, o botafoguense torce para que isso seja resolvido internamente. São poucas opções no elenco, Sassá está afastado e não precisamos de mais problemas, né?

Converse com ele, Jair. É para matar o jogo. Apenas isso!

Saudações alvinegras!

Guilherme, atacante do Botafogo, dá entrevista no Estádio Nilton SantosGuilherme comandou a virada do Botafogo sobre o Sport no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução/SporTV)