Carlos Eduardo Sangenetto
03/07/2017
Rio de Janeiro (RJ)

Diante de uma movimentação na internet para a realização de um protesto na noite desta segunda-feira, em General Severiano, que reivindicaria reforços para o Glorioso, a Loucos Pelo Botafogo, atualmente a maior torcida do clube, publicou uma nota oficial fazendo cobranças à diretoria liderada pelo presidente Carlos Eduardo Pereira, mas preferiu não se manifestar na frente da sede social por julgar o momento inoportuno.

O comunicado aponta possíveis erros da gestão CEP, como a “falta de gestores profissionais em cargos importantes”, “contratações vexatórias como as de Canales e Lizio” e critica a falta de arrecadação com patrocínios e parcerias com o valor da marca Botafogo. Além, é claro, de chamar atenção para a “brecha na folha salarial” que foi aberta com a saída de Montillo do time, na semana passada e pedir com urgência a chegada de peças ofensivas para serem titulares.

A nota dos loucos termina justificando a ausência da barra brava em uma manifestação nesta semana em virtude da proximidade com o jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, contra o Nacional-URU, em Montevidéu, na próxima quinta-feira: “Acreditamos que a hora é de apoio, é o jogo mais importante do ano. O que mais pensamos são em coisas positivas para a decisão de quinta”.

O Boletim do C.E apurou que ideia da torcida é aguardar o resultado da partida no Uruguai. Em caso de uma nova derrota, um “forte protesto“, de forma pacífica, deve ser logo programado.

A Loucos acertou? Não é hora?
Concordo com esse posicionamento.
Saudações alvinegras!

Loucos pelo Botafogo durante o jogo Botafogo x Coritiba, no Nilton SantosLoucos Pelo Botafogo se posicionou de forma contrária ao protesto em semana decisiva
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)