Presidente do Botafogo campeão brasileiro em 1995, Carlos Augusto Montenegro voltou a falar sobre a aproximação dos irmãos Moreira Salles, que estudam uma maneira de profissionalizar a gestão do futebol do Fogão. O ex-dirigente vê os empresários empenhados e acredita que a possível chegada deles ao clube é  “superinteressante”.

Para Montenegro, com o Botafogo afundado em dívidas e vivendo uma crise financeira difícil, “não adianta botar dinheiro na mão de amadores”. As declarações foram dadas ao ex-jogador Amaury Nunes, no programa “Fala, Presidente!”, da BandSports, exibido na noite da última quinta-feira.

– Eu acho superinteressante, fundamental. Uma coisa eles já deram, doaram o centro de treinamento ao Botafogo. Deram o terreno. A segunda coisa que eles estão tentando ajudar é exatamente ver se eles entram como acionistas. E é isso que eu torço para que aconteça porque você teria uma injeção de profissionalismo. Não adianta botar dinheiro na mão de amadores. Interessados eles estão, porque eles estão pagando por estudos. Interessados, às vezes, não é em entrar, e sim em ajudar o Botafogo a encontrar um formato para se reerguer. Acho que isso é um horizonte muito bacana para o Botafogo. É um projeto perene para tornar o clube sociedade anônima (SA), uma empresa com profissionais etc. O presidente do Botafogo continuaria existindo com uma cadeira na administração, mas seria gerido por profissionais – explicou.

Sem nenhum cargo na diretoria alvinegra há alguns anos, Montenegro diz que desempenharia um papel de “facilitador” para que a parceria com os irmãos Moreira Salles se tornasse realidade em General Severiano.

– Eu encontro eles de vez em quando, até mais o Waltinho (Walter Salles). Ele está muito ligado a todos esses projetos com crianças, com centro de treinamentos, ligado à educação, a uma série de coisas. Ele tem um filho bem jovem que adora o Botafogo. Assim que eles estiverem com os estudos prontos, eu espero funcionar como um facilitador para que isso aconteça – contou.

Fonte: Redação FogãoNET