C.E Sangenetto

Caros alvinegros,

Primeiramente, é um prazer voltar a escrever sobre o Botafogo. E fazer isso no FOGÃONET deixa o retorno mais legal ainda, afinal, tem ponto de encontro melhor para a torcida gloriosa na internet? Não, né? 🙂

Dito isso, inicio meu primeiro post com uma pergunta que não saiu da minha cabeça e de alguns companheiros de arquibancada desde o último fim de semana: por que o Jair não escalou os titulares contra o Nova Iguaçu no Niltão?

Imagino que ele tenha lá suas razões quando optou pelos reservas, mas para os torcedores isso talvez não seja tão fácil de entender.  Vamos aos motivos:

  • A primeira fase da Libertadores, naturalmente, já é um desafio e tanto para os clubes brasileiros por causa do calendário. O time, com muitas caras novas (do gol ao ataque), se reapresentou dia 11 de janeiro e teve apenas duas semanas para treinar e entrar em campo pela primeira vez em um jogo oficial.
  •  Este primeiro teste oficial não foi dos melhores. A partida foi em Moça Bonita, 17h, num calor danado, e a equipe foi derrotada pelo Madureira com uma atuação muito ruim dos titulares – que não contaram com Camilo, convocado para Seleção Brasileira.
  •  Montillo e Camilo, os principais jogadores do elenco e articuladores da equipe, não atuaram juntos em nenhuma das três partidas disputadas. Nem no amistoso em Cariacica contra o Rio Branco-ES – um deu lugar ao outro no intervalo.
  • E mais, como fica a torcida na história? Aquela que já está batendo na porta dos 25 mil sócios e apostando no time para Libertadores. Sem saber o que esperar do Botafogo para uma decisão dias depois, alguns 6 mil guerreiros ainda tomaram sol na cara para ver o tropeço dos reservas contra uma equipe que chegou ao Carioca pela fase preliminar.

Tomara que tudo esteja muito bem entrosado e conversado nos bastidores, já que, na frente das cortinas, o palco, apesar de novinho em folha e bonito demais, ainda tem uns “pontos cegos” para os botafoguenses neste início de temporada.

Saudações alvinegras!
C.E