Em tempo de turbilhão na política nacional, o Botafogo também vive dias agitados. Na última terça-feira, foi aprovada pelo conselho deliberativo a concessão de 23 novos títulos honorários de beneméritos e grandes beneméritos do clube. O curioso é que a maioria dos agraciados integra a própria diretoria ou tem relação com a cúpula. Até o presidente Carlos Eduardo Pereira foi contemplado com a maior honraria possível, a de grande benemérito.

– Ele foi indicado pelo presidente do conselho deliberativo (Jorge Aurélio), de quem é amigo há 30 anos – reclama o conselheiro e ex-dirigente Antônio Carlos Mantuano: – É inédito na história do Botafogo um presidente, na sua própria gestão, ser agraciado com distinta honraria.

A oposição questiona a relevância prestada pelos indicados, acusando a atual gestão de estar, a seis meses das eleições, garantindo a seus aliados, a longo prazo, algumaa das 60 cadeiras perpétuas do conselho – vale lembrar que as vagas para esse corpo permanente somente são abertas quando morre algum integrante, o que significa que o grupo de novos beneméritos aliados de Carlos Eduardo estão em uma fila para ter garantido o seu direito permanente de participar das decisões do Botafogo.

O presidente do Conselho Deliberativo, Jorge Aurélio Ribeiro Domingues, considera legítima a concessão dos novos títulos honorários. Foi ele quem indicou o nome de Carlos Eduardo Pereira.

– A indicação é de competência do presidente do clube ou do presidente do conselho. Eu fiz poucas indicações, na verdade. É uma prática comuníssima o presidente, no fim de seu mandato, indicar as pessoas que mais trabalharam na sua gestão. E eu indiquei o Carlos Eduardo pelo trabalho que ele desenvolveu no Botafogo ao longo de três anos. Foi excepcional. Ele pegou um clube falido, desacreditado, e conseguiu erguê-lo. Até agora, está pagando dívidas de administrações anteriores. Recuperou o Botafogo moralmente e esportivamente – justificou o presidente do Conselho.

Já Carlos Eduardo Pereira garantiu ao blog não ter privilegiado seus aliados:

– Aliados? Não se concede títulos por amizade. Nosso compromisso é com a ética e com o estatuto do clube. Existem normas rigorosas que precisam ser seguidas – disse, citando dois dos agraciados, Ricardo Rotemberg e Mauro Sodré Maia, como conselheiros ligados a opositores seus.

O presidente lembrou ainda que seus opositores poderiam ter feito indicações de beneméritos e grandes beneméritos:

– Acontece que o Bebeto de Freitas brigou com o Botafogo. E o Mauricio Assumpção virou as costas para o passado do clube. Todos os meus indicados são merecedores por relevantes serviços prestados ao clube. O vice de estádios, por exemplo, Anderson de Carvalho Simões, montou e desmontou a Arena da Ilha, enquanto o Flamengo até hoje não consegue jogar lá – encerrou.

OS 14 NOVOS BENEMÉRITOS APROVADOS:

Alexandre Pinto Brito Oliveira, Alvaro Costa de Paula Antunes, Anderson de Carvalho Simões, Antonio de Souza Garcia, Antonio Henrique Azevedo de Noronha, Domingos Flores Fleury da Rocha, Edson Alves Junior, Gustavo Damázio de Noronha, Leila Freitas Soares, Luiz Felipe Gonçalves Novis, Mauro Sodré Maia, Nelson Mufarrej Filho, Paulo Ernesto Kleinbeger, Ricardo Rotenberg.

OS NOVE GRANDES BENEMÉRITOS APROVADOS:

Aderaldo Vieira Chaves, Bruno Carlo Siciliano, Carlos Eduardo da Cunha Pereira, Edgard de Azevedo Neto (“post mortem”) , Fernando Eduardo Ferreira Mesquita, José Vitor Caetano dos Santos, Luiz Felipe Carneiro de Miranda, Luiz Octavio de Faria Baptista Vieira, Ricardo dos Santos Rego.

Fonte: Blog Extracampo - Marluci Martins - Extra Online