DIEGO: 4,0
Inexperiente, entrou em uma fogueira e se queimou. Bobeou principalmente no segundo gol ao jogar a bola para dentro. Ao menos fez algumas defesas e se mostrou mais seguro que Saulo

LUIS RICARDO: 3,0
De positivo, apenas a participação no lance do gol. Tem enormes dificuldades em correr, marcar e atacar

MARCELO BENEVENUTO: 5,5
Bons desarmes e botes, velocidade na recuperação e presença ofensiva. Teve três boas chances e parou na zaga ou no goleiro

IGOR RABELLO: 6,5
Manteve seu nível de atuações, com sobriedade e solidez. Lançamento espetacular para Brenner mandar na trave

GILSON: 4,5
Muita disposição, mas a alternância de sempre entre jogadas pífias e outras úteis. No geral, não foi bem

JEAN: 5,5
Levou cartão cedo demais. Depois diminuiu a marcação e a combatividade, para não ser expulso

RODRIGO LINDOSO: 5,5
Pouco visto em campo, tanto na marcação quanto na armação. Algumas boas participações ofensivas

GUSTAVO BOCHECHA: 5,0
Qualidade nos passes, mas ritmo muito devagar. Parece jogar em outra frequência, embora esteja se soltando

LEO VALENCIA: sem nota
Se machucou rápido

RODRIGO PIMPÃO: 7,0
Foi guerreiro o jogo todo, não parou de correr e mais uma vez fez gol em competição internacional

BRENNER: 5,5
Se mexeu e deu opção, com alguma qualidade com a bola. Quase fez um bonito gol. O problema é que ficou no quase, o que é péssimo para centroavante

LUIZ FERNANDO: 7,0
Entrou e deu vida ao Botafogo. Foi perigoso na velocidade e na bola parada

AGUIRRE: 5,0
Entrou e pouco produziu

MARCINHO: sem nota
Pouco tempo para jogar

ZÉ RICARDO: 4,0
Ninguém entendeu por que poupou tantos jogadores na Sul-Americana. O time até foi bem, pelos desfalques, mas não poderia abdicar da competição

Fonte: Redação FogãoNET