O processo em que Seedorf cobra do Botafogo cerca de R$ 4 milhões poderia ter sido evitado. Cópias de e-mails trocados entre os advogados do ex-jogador e o departamento jurídico do Alvinegro, obtidas com exclusividade pelo EXTRA, mostram que o clube já estava ciente do problema que motivou a ação desde, pelo menos, setembro de 2016.

No ano passado, os representantes do holandês — jogador do Botafogo entre 2012 e 2013 — pediram, por e-mail, comprovantes do cumprimento do contrato. É que o acordo com o jogador estabelecia o pagamento de um valor já descontados os impostos. Segundo os autores do processo, isso não ocorreu. Ou seja, de acordo com eles, o clube não reteve os tributos na fonte e pagaram o valor bruto do salário, o que causou a Seedorf problemas com o fisco da Itália — onde ele foi trabalhar depois.

No começo, advogados do Alvinegro responderam os e-mails sem providenciar o que era pedido. Na última mensagem, em 20 de setembro de 2016, pediam tempo para fazer a pesquisa necessária. A resposta dos advogados de Seedorf chegou no dia seguinte. Eles solicitaram os comprovantes de pagamento de impostos sobre os direitos de imagem do atleta. Não houve retorno.

Cópia de um dos e-mails enviados para o Botafogo
Cópia de um dos e-mails enviados para o Botafogo

A paciência do holandês acabou e, em 6 de outubro, o Botafogo foi notificado, por e-mail, de que o atleta entraria com processo judicial caso não fossem fornecidos os comprovantes. Como a nova mensagem também não foi respondida, a ação foi ajuizada. O vice-presidente jurídico do Botafogo, Domingos Fleury, disse que a posição do clube será decidida após todos os fatos serem levantados e analisados.

Fonte: Extra Online