Depois de 723 jogos, diversos títulos conquistados, dois campeonato mundiais pela seleção brasileira e mais de duas décadas dedicadas ao Botafogo, dentro e fora de campo, Nílton Santos pode ter sua história contada em “seu” estádio. A casa alvinegra, que hoje leva o nome da “Enciclopédia do Futebol”, tem como um de seus projetos abrigar o Museu Nílton Santos, apresentando centenas de peças que marcaram a vida de um dos maiores jogadores brasileiros da história.

Contudo, a tarefa de contar o que uma “Enciclopédia” fez não é simples. A ideia do clube é apresentar, em todos os setores do estádio, um pouco da exposição. O clube ainda cogita abrir um “crowndfunding”, a vaquinha, com os torcedores para levantar o dinheiro necessário para viabilizar a iniciativa.

— Não temos qualquer pretensão de lucro com a ideia. Estamos contando até com a ajuda de alguns torcedores para reunir fundos. Até um “crowdfunding” pode ser feito para viabilizar o museu — explica Márcio Padilha, vice-presidente de comunicação e social do clube.

Para colocar o projeto em prática, o Botafogo aguarda a liberação total de seu estádio. O sucesso do museu caminha junto ao crescimento comercial que o local terá durante e depois das Olimpíadas de 2016.

— Temos que aguardar a entrega do estádio ao Botafogo. Depois vamos nos movimentar para que ele tenha vida própria. Tenha suas lojas, tenha eventos… Teremos a resposta de como vamos trabalhar — adiantou Padilha.

O clube não deu prazo para iniciar o projeto, mas ele já pode sair do papel após as Olimpíadas de 2016.

Fonte: Extra Online