Botafogo e Atlético-PR se enfrentam nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Municipal Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG), em busca da primeira vitória no Campeonato Brasileiro. Os dois times chegam para esta terceira rodada com apenas um ponto conquistado. Ambos empataram por 1 a 1 no fim de semana, sendo que o time carioca arrancou empate com o Sport, em Pernambuco, enquanto que os paranaenses, como anfitriões, ficaram na igualdade com o Atlético-MG.

Pressionado pela necessidade de vencer, o técnico Ricardo Gomes convive com uma situação curiosa, já que seu time vem rendendo bem em campo, mas não consegue reverter as boas atuações em vitórias por conta da falta de pontaria. O treinador, porém, procurou conversar com seus comandados para aliviar um pouco a pressão.

“Estamos conseguindo fazer algo muito importante no futebol, que é tocar a bola e dominar o adversário, além de criar oportunidades. Portanto, não há motivo para desespero. Precisamos muito ganhar os jogos, mas acredito que quando vencermos o primeiro, o caminho melhora. O importante é não nos sentirmos ainda mais pressionados do que a pressão normal de se jogar em um grande clube, como é o Botafogo”, disse Gomes.

Os jogadores do Botafogo, porém, entendem que vencer passou a ser uma obrigação e não se sentem menos pressionados com as cobranças. Isso porque os atletas não querem ver pontos importantes fazerem falta mais adiante no campeonato.

“O Botafogo tem sempre que lutar por grandes objetivos na temporada e, por isso mesmo, não podemos ficar perdendo a oportunidade de somar pontos em jogos que estamos dominando ou conseguindo nos impor. O equilíbrio no Campeonato Brasileiro é muito grande e precisamos tentar somar o máximo de pontos neste momento para que mais na frente eles não façam muita falta. Temos que tentar chegar perto do primeiro pelotão e caminhar com eles até o momento de definições na temporada”, avisou o volante Rodrigo Lindoso.

Para este compromisso, o Botafogo perdeu o zagueiro argentino Joel Carli, com dores musculares na coxa direita. Emerson Silva será o substituto. Uma atração que vai ficar no banco é o jovem atacante Renan Gorne, de apenas 20 anos, que foi artilheiro do time de juniores este ano e é tratado como uma joia em General Severiano.

Pelo lado do Atlético-PR, o discurso é manter a concentração ao longo dos noventa minutos.

“O Campeonato Brasileiro é marcado pelo equilíbrio e por ser uma competição muito desgastante, que exige demais das equipes. Portanto, para se dar bem, um time precisa estar com o nível de concentração no lugar mais alto, em um ponto extremo. As dificuldades contra o Botafogo, por exemplo, serão enormes, pois trata-se de um time de qualidade e que também precisa fazer o resultado positivo. Portanto, não poderemos cometer erros infantis e teremos que aproveitar bem as oportunidades que surgirem ao longo do nosso caminho”, analisou o goleiro Weverton, um dos líderes do elenco.

Em termos de escalação, Paulo Autuori, que foi expulso contra o Atlético-MG e deve indicar um auxiliar para ficar na beira do gramado, mais uma vez fez segredo, embora tenha sinalizado com a manutenção do time que duelou com os mineiros.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO-RJ X ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Municipal Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG)
Data: 25 de maio de 2016 (Quarta-feira)
Horário: 19h30(de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Márcio Gleidson Correia Dias (PA) e Helcio Araujo Neves (PA)

BOTAFOGO: Helton Leite, Luis Ricardo, Emerson Silva, Emerson Santos e Victor Luis; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Fernandes e Leandrinho; Neilton e Ribamar. Técnico:Ricardo Gomes

ATLÉTICO-PR: Weverton, Eduardo, Cleberson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani, Ewandro, Pablo e Nikão; André Lima. Técnico: Paulo Autuori

Fonte: ESPN.com.br