Daniel foi contratado pelo Botafogo junto ao Cruzeiro em 2013 para integrar as categorias de base. Com poucos meses no Rio de Janeiro, o apoiador conseguiu se destacar ao ponto de iniciar a temporada treinando entre os titulares que disputarão a Libertadores. Para não perder a principal aposta do técnico Eduardo Hungaro, a diretoria alvinegra decidiu renovar com contrato do jovem atleta até junho de 2017 – antes o vínculo ia até dezembro. Ao lado de Gabriel, Dória e Renato, ele será um dos destaques da estreia do Alvinegro no Carioca, neste sábado, às 19h30, contra o Resende, em Volta Redonda.

Com o novo contrato, Daniel teve um reajuste em seu salário e multa rescisória. Para um clube brasileiro contratar o apoiador terá que desembolsar R$ 55 milhões. Para o exterior essa quantia é ainda maior: 20 milhões de euros (aproximadamente R$ 64 milhões). O documento foi assinado na última sexta-feira, no Engenhão.

No fim de 2013, Daniel passou a ser comandado por Eduardo Hungaro, que acumulava a função de auxiliar do técnico Oswaldo de Oliveira e treinador dos juniores. Assim, o jovem apoiador conquistou a confiança do agora comandante dos profissionais. E na ausência de alguns titulares, o jogador mostrou estar pronto para brilhar em General Severiano.

Daniel foi titular do meio de campo ao lado de Lodeiro e Jorge Wagner no jogo-treino contra o Olaria no centro de treinamento da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei), em Saquarema. E o desempenho foi impecável. Ele marcou os dois gols da vitória por 2 a 1 do Botafogo e recebeu elogios do técnico Eduardo Hungaro.

“Daniel é promissor, mas temos que ter calma. É normal que tenha oscilações nesse início de carreira. Espero que aproveite a oportunidade, mas é bom não criar expetativa exagerada. Está iniciando o seu último ano de juniores. Esse tipo de formação se encerra aos 21, 22 anos. Esteve muito bem, mas não devemos criar expetativa exagerada. É normal na idade dele oscilar”, ponderou o comandante do Alvinegro.

Se o discurso é contido, a confiança e a expectativa no jogador é enorme. O apoiador é a principal aposta para o Botafogo manter a pegada na revelação de atletas. Em 2013 Jadson, Gabriel, Dória e Vitinho estouraram. Para 2014 uma nova safra é preparada e alguns nomes já são conhecido entre os torcedores, como Gegê, Octávio e Cidinho. Porém, é o nome de Daniel que mais desperta emoções na comissão técnica e diretoria. O início é animador.

Fonte: UOL