Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

X

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

10/04/21 às 21:05 - Raulino de Oliveira

Escudo Volta Redonda
VRE

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT

Botafogo se preocupa com má campanha fora e define meta para 2º turno

0 comentários

Compartilhe

A derrota por 1 a 0 para o Atlético-MG foi a quarta consecutiva do Botafogo fora de casa no Campeonato Brasileiro. O desempenho ruim longe do Rio de Janeiro terminou diagnosticado pela comissão técnica como um dos principais problemas do time ao encerramento do primeiro turno da competição nacional.

O Alvinegro venceu apenas o Palmeiras como visitante até o momento. E melhorar o rendimento é fundamental para alcançar a meta de pontos definida por Vagner Mancini para a segunda metade do torneio. No mínimo, os cariocas precisam somar 23 pontos contra o perigo do rebaixamento.

“Faz parte do nosso projeto melhorar o rendimento. É preciso pontuar fora de casa. É óbvio que a nossa equipe necessita se comportar de uma maneira diferente, pois existe uma dificuldade ainda maior no segundo turno”, afirmou Vágner Mancini.

Apesar da crise financeira do clube, o comandante avaliou que o Botafogo evoluiu com o decorrer das rodadas do Brasileirão. A ideia é aproveitar o melhor momento para atingir a meta de pontos e ter um fim de ano tranquilo.

“A pontuação de 23 pontos é o nosso limite. Não podemos aceitar menos do que isso no segundo turno. Passamos sete ou oito jogos de maneira instável. Vivemos outro momento atualmente e certamente vamos jogar melhor e somar mais pontos no segundo turno. O ideal é chegar ao final com mais força”, encerrou o treinador.

Na próxima quarta-feira, o Botafogo inicia o projeto de ter um segundo turno tranquilo. O Alvinegro encara o São Paulo, às 22h, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Comentários