Com casa cheia no Maracanã, palco da abertura dos Jogos Olímpicos, Vasco e Botafogo se enfrentam neste domingo, às 16h, nesta que pode ser uma tarde de celebração em meio a um ano que ainda promete momentos nada fáceis a ambos. Para o time de São Januário, um título significa reafirmar a superioridade sobre os adversários da cidade, mas não evita o martírio longe da elite do futebol brasileiro. Em dificuldades financeiras, o clube de General Severiano montou um elenco na conta do chá e há dúvidas sobre a capacidade de este time enfrentar o Brasileiro. Ainda assim, tem a chance de conquistar uma taça.

VANTAGEM VASCAÍNA

Após vencer o primeiro jogo por 1 a 0, o time de Jorginho precisa de um empate para conquistar o bicampeonato — repetindo o feito de 2015, quando o vice foi o mesmo Botafogo. Neste período, foi sistematicamente superior ao arquirrival Flamengo, mas caiu para a Série B no ano passado. Técnico que teve a oportunidade de deixar o clube para aceitar melhor proposta financeira do Cruzeiro, Jorginho fez questão de dissociar os resultados no Brasileiro passado com os do Carioca.

— Uma coisa não tem a ver com a outra, é uma conquista isolada. O que vai apagar (a queda) é retornarmos para a Primeira Divisão. Precisamos fazer isso de uma forma bem consistente, não podemos ficar tomando sustos. Já estamos com uma base montada, vamos precisar de algumas contratações bem pontuais. — afirmou Jorginho. — É um compromisso que nós temos com o Vasco da Gama. E essa é uma das grandes razões de eu ter ficado.

Com 13 vitórias e quatro empates, Jorginho pode conquistar seu primeiro título no Brasil como treinador de forma invicta. Antes, ganhou títulos apenas com o Kashima Antlers, do Japão. Apesar do treino fechado à torcida ontem, não há novidades na escalação. Hoje, ele repetirá a mesma equipe que saiu vitoriosa na semana passada.

CHANCE OURO PARA NENÊ

Principal nome do time, Nenê, de 35 anos, tem no currículo um único título: o Paulista de 1999, com o Paulista de Jundiaí. Depois, em 2012-2013, atuou na primeira metade da temporada em que o PSG foi campeão francês. Dessa vez, o experiente jogador poderá ter a oportunidade de participar integralmente da festa. Com sete gols na competição, ele tem dois a menos do que Riascos, artilheiro vascaíno no Carioca — e três a menos do que Tiago Amaral, do Volta Redonda.

— Nenê parece um garoto de 25 anos de idade, é uma realidade. O rendimento desse atleta às vezes é melhor do que de um jogador jovem — elogiou Jorginho ao falar sobre o trabalho que o departamento médico e a preparação física do Vasco fazem para deixar veteranos em boa forma física.

O colombiano Riascos, sempre contestado, pode terminar o Estadual em alta, como campeão e artilheiro do time, antes de uma provável volta ao Cruzeiro.

OS ‘MENINOS’ DE RICARDO GOMES

Vindo de um desmanche do elenco que passou pela Série B no ano passado, o Botafogo de Ricardo Gomes viveu um Carioca bipolar. Ao mesmo tempo em que vencia os clubes pequenos sem brilhar, fazia suas melhores partidas contra os grandes, mesmo quando não ganhava. Hoje, para se sagrar campeão, precisa vencer por dois gols de vantagem. Caso consiga uma vitória simples (1 a 0, 2 a 1, 3 a 2, …), a decisão irá para os pênaltis.

Vencer o Carioca é o estímulo que falta para o Botafogo começar com autoestima o Brasileiro, que promete ser difícil. O “time de meninos” pouco experientes, como a esperança Neilton, surpreendeu com um esquema de jogo consistente e mesmo sem brilho, conseguiu apresentar um bom futebol quando necessário.

Com boas apresentações em clássicos, apesar de ter vencido apenas o Fluminense (duas vezes), o momento fez o discurso oficial de “vamos brigar mais do que para não cair no Brasileiro” ganhar força. É notório, no entanto, que, dentro do elenco, esse raciocínio é diferente ao da diretoria. Não ficar na zona de rebaixamento é, sim, a meta. Mas já se ouve que é possível fazer mais. No Carioca, a campanha até aqui tem 12 vitórias, três empates e duas derrotas.

— Todos nós quando chegamos numa decisão temos ansiedade, os jogadores também. Chegamos aqui e não foi um presente, foi atrás de muito trabalho. O discurso dessa semana foi esse. Chegamos com méritos, e quando se chega tem que ser para ganhar. Com muita ou pouca técnica, o espírito é de vencedor — disse Ricardo Gomes, que, neste sábado, comandou o time em um treino aberto à torcida em General Severiano.

Com o time composto por muitos jovens, além de estrangeiros recém-chegados ao futebol brasileiro, vencer o Carioca será fato inédito para a maioria. Para Ricardo Gomes, mesmo já sendo um treinador experiente, ganhar a competição terá um sabor diferente. Será o seu primeiro título estadual da carreira de técnico. Além disso, o primeiro desde que teve um AVC, em 2011.

— Passei por um acidente e o Botafogo me abriu as portas. Conseguimos essa recuperação em relação à Série A e agora estamos brigando por um título. Hoje não penso mais no acidente, penso na evolução. Ainda bem que tenho um time que corresponde à expectativa. Você fica quatro anos olhando pela TV, imagina a cabeça. Tudo que fiz, foi com ajuda. Nada se faz sozinho — disse.

Ricardo Gomes fará mudanças na equipe com relação ao último domingo. Liberado para jogar pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio (TJD-RJ), o argentino Joel Carli volta ao time na vaga que foi ocupada por Renan Fonseca. A seu lado estará Emerson Santos.

VASCO x BOTAFOGO

Vasco: Martín Silva, Madson, Luan, Rodrigo, Júlio Cesar, Marcelo Mattos, Julio dos Santos, Andrezinho, Nenê, Jorge Henrique e Riascos.

Botafogo: Jefferson, Luis Ricardo, Carli, Emerson Silva e Diogo; Rodrigo Lindoso, Bruno, Gegê (Fernandes) e Leandrinho; Salgueiro e Ribamar.

Juiz: Leonardo Garcia Cavaleiro

Local: Maracanã

Horário: 16h

Transmissão: Rede Globo

Fonte: O Globo Online