Crise no Botafogo faz Oswaldo reviver sombra de Cuca e clima hostil com torcida

Compartilhe:

O Botafogo está imerso em sua pior crise na temporada. A sequência de três jogos sem vitórias – duas derrotas e um empate – foram determinantes para que o Alvinegro deixasse o G-4 após 29 rodadas. Além disso, o técnico Oswaldo de Oliveira voltou a ser o principal alvo da ira dos torcedores. Após não sair do 0 a 0 com a Portuguesa, na última quarta, o treinador reviveu o drama de 2012, quando era perseguido pelas arquibancadas.

Além das vaias, Oswaldo de Oliveira teve que lidar com um antigo fantasma: Cuca. O atual treinador do Atlético-MG é bem quisto entre os torcedores, que pediram sua volta após o resultado negativo. O mesmo havia ocorrido em São Januário, no ano passado, depois de uma derrota para o Corinthians. Este fato mexeu com o treinador do Botafogo, que respondeu aos xingamentos vindos das arquibancadas.

Ao se dirigir ao vestiário, Oswaldo de Oliveira foi atingido por uma cusparada vindo das arquibancadas e perdeu o controle. Ele se dirigiu ao torcedor e respondeu com as mesmas palavras de baixo calão. Além disso, o treinador se mostrou desconfortável com o pedido de Cuca feito pelos torcedores. “Eu apenas repliquei uma cusparada e um xingamento que recebi”, disse. “Ninguém fica satisfeito em sair do G-4. Eles podem pedir quem eles quiserem, fiquem a vontade”, completou com um sorriso provocador.

O ambiente ruim com a torcida não é uma novidade para o treinador. Após ser o pivô da saída de Loco Abreu do Botafogo, Oswaldo foi perseguido pelas arquibancadas durante bom tempo. Porém, o time passou a apresentar um bom futebol e o clima esfriou. A queda de rendimento, juntamente com a saída do G-4, no entanto, reascendeu a insatisfação de alguns torcedores com o comandante do Alvinegro. O treinador tentou não transparecer, mas estava abalado.

Prova disso foi a entrevista após o jogo, que transcorreu em um clima muito diferente do usual. O treinador do Botafogo tentou manter o otimismo, mas perdeu a linha ao ser perguntado sobre seu futuro e a informação divulgada pelo jornal O Globo de que teria pedido demissão aos dirigentes do clube após a derrota para o Inter, o que foi recusado de imediato.

“Não tem nada. É ridículo, sórdido. Quem inventa uma situação dessa tem má intenção na manga, só pode ser. É no mínimo mal intencionado quem disse isso”, reclamou para deixar a sala de imprensa com cara de poucos amigos.

Apesar do clima ruim, Oswaldo de Oliveira está valorizado no mercado. O próprio Botafogo tem o interesse de manter o treinador para 2014. Inicialmente, nem mesmo a ausência na Libertadores influenciaria nessa decisão, mas a forte pressão vinda das arquibancadas poderá ser decisiva. Além disso, o técnico despertou interesse de Palmeiras, Santos e Corinthians, que sondaram o profissional para a próxima temporada.

O fato é que Oswaldo terá uma dura missão nesta reta final de Brasileiro. O treinador tem quatro rodadas para reverter a situação e recolocar o Botafogo na Libertadores, o que não ocorre desde 1996. O próximo adversário é o Atlético-PR, neste sábado, no Maracanã. Com 54 pontos, o Alvinegro é o quinto colocado, a dois do Goiás, em quarto.

Fonte: UOL

Comentários