Presidente do Cruzeiro até dezembro de 2017, Gilvan de Pinho Tavares anunciou a contratação de Bruno Silva no último domingo (22), em entrevista à Rádio Super Notícia. A chegada do jogador à Toca da Raposa II, no entanto, ainda não está sacramentada.

Os mineiros já alinhavaram o acordo com Carlinhos Sabiá, empresário do jogador, e tentam a liberação no Botafogo. A confirmação do meio-campista, no entanto, ainda depende do aval da diretoria alvinegra, que só aceita liberá-lo pelo valor da multa rescisória: R$ 20 milhões. O atual contrato do jogador em General Severiano se encerra em dezembro de 2018.

Dono de 40% dos direitos econômicos de Bruno Silva, o Botafogo aceita negociar somente a sua parte, que equivale a R$ 8 milhões. Inicialmente, o time do Rio de Janeiro não tem interesse na negociação. Porém, a possibilidade de perder o atleta de graça no fim de 2018, quando acaba o contrato, pode mudar esta situação. Nomes para reposição ainda não foram discutidos.

A nova diretoria do Cruzeiro, liderada por Wagner Pires de Sá (eleito sucessor de Gilvan) e Itair Machado, executivo de futebol, firmou um acordo de três temporadas com o estafe do meio-campista. Diante do “sim” do empresário Carlinhos Sabiá, atleta do clube de Belo Horizonte nas décadas de 1970 e 1980, a cúpula passará a negociar com os cariocas. As tratativas com o clube que detém os direitos de Bruno Silva ainda não se iniciaram.

O problema é que a relação entre Cruzeiro e Botafogo não é das melhores por conta da negociação que envolveu a ida de Sassá para a Toca da Raposa II. Os cariocas entendem que os mineiros não agiram de forma correta na transação que culminou na assinatura do atacante de 23 anos.

O mesmo acontece na situação que envolve Bruno Silva. O Alvinegro Carioca crê que a postura da Raposa não é a ideal na negociação. Nos bastidores de General Severiano, há quem creia que esta é uma forma de forçar o jogador a deixar o clube por um valor inferior ao solicitado. Itair Machado será o responsável por conversar com a diretoria do Botafogo. O executivo de futebol do Cruzeiro tentará a liberação do jogador botafoguense.

Fonte: UOL