Edmundo sempre foi conhecido por declarações polêmicas e pelo fato de nunca fugir das perguntas durante uma entrevista. E nesta terça-feira não foi diferente. Durante participação no programa “Bola da Vez”, da ESPN Brasil, o ex-atacante não titubeou ao afirmar que jogou melhor do que Ronaldo, pelo menos no que diz respeito à questão quantitativa.

“Sem pretensão nenhuma, eu joguei mais que o Ronaldo em um modo geral, não na seleção. Ele foi fantástico. Eu joguei mais tempo, 18 anos no profissional e com regularidade. Tanto que os números não vão mentir, eu fiz o dobro de gols dele. Mas eu não joguei na seleção como ele jogou. Ele é carismático, ganhou o rótulo positivo, é uma pessoa fantástica. Mas isso não é demagogia”, cravou.

Além disso, o ex-jogador reclamou da falta de reconhecimento do torcedor brasileiro com os jogadores que atuam no país e criticou a extrema valorização dos estrangeiros.

“O brasileiro não dá valor, não valorizamos o que é nosso. No futebol brasileiro dá para citar nomes de estrangeiros que vieram para jogar aqui que são muito mais valorizados do que os nossos. No futebol brasileiro tem gente que diz que o Rincón é melhor que o Toninho Cerezo e não é. É minha opinião”, disse.

Edmundo também falou sobre os problemas existentes no futebol brasileiro, que vão desde a falta de estrutura até a falta de pagamento de alguns atletas. De acordo com o ex-jogador, isso atrapalha a permanência de estrelas e afirmou que Seedorf deve deixar o Botafogo por estar “triste” com a situação no Brasil.

“As torcidas estão muito chatas. Isso de ir ao aeroporto jogar ovo. O Seedorf deve estar muito chateado. Não quero ser jornalista, mas pelo que eu ouvi ele falar em italiano, ele vai embora. 99% dos times tem CT, é muito por isso. Ter seriedade na hora de pagar”, analisou.

Fonte: UOL