Segundo o blog “Um Facho de Luz”, do Globoesporte.com, a nova diretoria do Botafogo estipula em aproximadamente R$ 600 mil mensais os gastos com cargos e funções que estão supervalorizados financeiramente no futebol alvinegro. Preocupado com a falta de dinheiro, a nova cúpula pretende passar um pente fino e ficar apenas com os profissionais que o clube tenha real necessidade.

O blog cita o exemplo de Wilson Gottardo, Aníbal Rouxinol e Bernardo Arantes, três gerentes do futebol profissional que recebem juntos aproximadamente R$ 200 mil por mês – os cargos foram criados depois da entrada de Chico Fonseca na vice-presidência de futebol. Antigamente, o departamento ficava a cargo apenas de Anderson Barros, que ganhava cerca de R$ 80 mil.

Além disso, segundo analisou a nova diretoria, auxiliares estão recebendo pelo menos 50% acima do normal para o mercado. Sem citar nomes, o blog diz que hoje um auxiliar da preparação de goleiros recebe mais do que um atleta recém promovido da base. Carlos Eduardo Pereira & cia. devem reduzir a folha além dos R$ 600 mil que consideram acima do necessário.

Fonte: Globoesporte.com