Gerente técnico do Botafogo, o ex-zagueiro Wilson Gottardo criticou o que chamou de “canibalismo” o assédio de empresários e dirigentes. Envolto na crise financeira, o Glorioso vive na iminência de perder atletas, como foi o caso de André Bahia, alvo do Fluminense, que fez convite a ele antes do clássico. Gottardo revelou que o zagueiro preferiu permanecer em General Severiano.

– Existem aspectos a serem analisados e é preciso ter informações precisas para não ser injusto com o atleta ou com os dois clubes. Mas as pessoas estão no mercado e em alguns momentos se pratica esse canibalismo. Não sei se este é o caso, mas o importante é que o André está feliz e quer ficar no Botafogo. Ele disse isso a mim – afirmou Wilson Gottardo ao site Globoesporte.com.

Fonte: Redação FogãoNET