A movimentação (no bolso) de um grupo de torcedores com alto poder aquisitivo vai ajudar o Botafogo a aliviar sua grave crise financeira. A partir de setembro, os valores referentes aos direitos de imagem dos jogadores, que estão atrasados há cinco meses, serão bancados pelo grupo. Caberá ao clube, que continua com todas as suas receitas penhoradas, buscar alternativas para pagar os salários.

Na segunda-feira, os jogadores Jefferson, Bolívar, Edilson e Júnior, além da comissão técnica e representantes da diretoria, se reuniram com esses torcedores em um restaurante no Jockey Club, na zona sul do Rio. Os atletas tiveram a garantia de que receberão os vencimentos relativos aos direitos de imagem até o fim do ano.

Ontem, um empresário que esteve no encontro confirmou a negociação. “Estamos tentando equacionar essa dívida. Já temos um grupo de 15 pessoas, mas tem aparecido mais gente querendo colaborar”, afirmou. Ligado a um movimento político do clube, ele pediu para não ter o nome divulgado.

A contrapartida para o investimento não foi discutida. “Nós não queremos ganhar dinheiro com isso, só queremos ajudar o Botafogo”, assegurou.

Já os salários dos atletas, que estão atrasados há dois meses, deverão ser pagos pelo Botafogo por intermédio de uma ação do Sindiclubes. A medida já garantiu o pagamento dos vencimentos no início deste mês. Por lei, um jogador pode pedir a rescisão de contrato caso não receba salários por três meses consecutivos.

Foi o que fez o lateral direito Lucas. Na semana passada, ele acionou a Justiça pedindo a quebra de contrato devido aos atrasos no pagamento dos salários e nos depósitos do FGTS. Ontem, a CBF confirmou o desligamento do jogador do Botafogo.

O clube carioca também precisa encontrar uma solução para bancar o pagamento dos profissionais do departamento médico do clube, que estaria atrasado há quase cinco meses. A expectativa é de que pelo menos parte do valor devido seja paga no máximo até a próxima semana.

Fonte: Estadão