Figura importante no retorno do Vasco para a Série A do Campeonato Brasileiro, o técnico Joel Santana ainda é presença incerta no banco de reservas cruzmaltino em 2015. Enquanto espera por uma definição de Eurico Miranda e curte os primeiros dias de férias, o folclórico treinador enfrenta um novo pedido nas ruas do Rio de Janeiro: voltar ao Botafogo para tirar o clube da segunda divisão na próxima temporada.

Em entrevista à agência de notícias Reuters, Joel diz que não deseja assumir o Alvinegro. Em tom de brincadeira, ele rejeita o desafio de comandar o acesso do clube em 2015. “As pessoas me param na rua hoje e dizem: ‘Joel, pegue o Botafogo e nos tire da segunda divisão’. Eu falo: ‘De novo? Papai Joel não aguenta mais isso’. Me deem Barcelona ou Real Madrid”, brinca.

O treinador de 65 anos reclama da dificuldade encontrada durante o trabalho no Vasco, que terminou com a terceira colocação da Série B e o acesso à elite do futebol nacional.

“Eu cheguei ao Vasco e só depois de três semanas consegui dar um treino tático”, lembra Joel. “Você dá treino recreativo, de toque ou futevôlei. O treino serve mais para tirar cansaço de viagem que para fazer algo objetivo”.

Apesar das dificuldades, o treinador ressalta que o seu comportamento no Vasco foi sempre para dar o melhor ao elenco de jogadores. “Você tem que ser possessivo na sua causa para ter sucesso”, aponta Joel, que afirma ter tido apoio de todos os setores do clube.

Durante a campanha da Série B, Joel teve um vídeo com sua preleção vazado na Internet. Na gravação, jogadores riam de seus comentários táticos durante reunião no vestiário. “Jogadores e comissão técnica têm que saber que o seu líder é aquele que está com eles nos bons e maus momentos”, complementa o treinador.

Apesar de rejeitar o Botafogo, o técnico avisa que tem o que é necessário para salvar um clube em crise – como o Vasco de 2014 e o Botafogo de 2015. “Só um pai pode salvar um clube”, encerra Joel Santana.

Fonte: UOL e Reuters