Desde a quinta-feira passada o Cruzeiro contava como praticamente certa a contratação de Ricardo Gomes. Após a final do Campeonato Carioca havia uma quase certeza de que ele diria nesta segunda-feira ao presidente do Botafogo que se mudaria para Minas Gerais, tanto que o plano era apresentá-lo na terça.

Mas o coração falou mais alto. Ricardo, que sofreu um AVC em pleno clássico com o Flamengo, quando dirigia o Vasco, se emocionou na reunião com Carlos Eduardo Pereira, reconheceu que foi o clube da estrela solitária quem lhe tirou de uma indesejada aposentadoria. E decidiu permancer no Botafogo para a disputa da Série A.

A decisão do treinador pegou os cruzeirenses de surpresa. Ao entrar em contato com os cartolas de Minas para lhes informar que não mudaria de clube, Ricardo admitiu responsabilidade pelo recuo de uma decisão muito bem encaminhada e reconheceu não ter conduzido da melhor maneira o processo.

Foi o segundo técnico de um finalista do campeonato do Rio que esteve muito próximo de fechar, como informamos — clique aqui e aqui — e decidiu ficar. O time mineiro chegou a procurar Reinaldo Rueda, do Atlético Nacional, hoje difícil pois o clube de Medellín segue na disputa da Copa Libertadores.

Enquanto isso, Geraldo Delamore, integrante fixo da comissão técnica do Cruzeiro, segue interinamente à frente do time. Se aceitasse a proposta, Ricardo Gomes teria um salário superior ao dobro do atual. Eurico Miranda e Carlos Eduardo Pereira, presidentes de Vasco e Botafogo, levaram a melhor no duelo com os dirigentes celestes.

Fonte: Blog do Mauro Cezar Pereira - ESPN.com.br