Mancini quer 4 ou 5 reforços: ‘Podemos seduzir com nosso ambiente de trabalho’

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

A reportagem da Super Rádio Tupi conversou, com exclusividade, com o técnico do Botafogo, Vagner Mancini. Primeiro dia desse período de paralisação, por causa, da Copa do Mundo, Mancini abordou alguns assuntos importantes sobre o futuro Alvinegro no Brasileirão. Chegada de reforços, investimento no elenco, objetivos. confira esse bate-papo com o comandante do Fogão. O Glorioso terminou essa primeira etapa com duas vitórias, três empates e quatro derrotas, com nove pontos, na décima quarta posição na tabela. Confira esse bate-papo com o comandante do Fogão.

Como você analisa essa primeira etapa do Brasileirão

“A avaliação tem que ser feita de uma forma bem coerente. O Botafogo começou o campeonato de uma forma ruim, depois de uma desclassificação na Libertadores. Nós tivemos que refazer não só time, mas a parte tática, esquema de jogo, como também o lado psicológico dos atletas. O clube passava por problemas financeiros, ainda passa por isso, nós sabíamos que o trabalho seria difícil, com muita dificuldade no processo. Nós colocamos pedra em cima de pedra, tijolo em cima de tijolo. Um trabalho de reconstrução.”

O Botafogo tem chance de chegar brigando lá em cima com o Cruzeiro

“Pelo elenco que a gente tem hoje, não, a gente tem que ser realista. Mas com o tanto que a gente teve de evolução até essa parada para a Copa, acho que podemos sonhar sim. Futebol te proporciona isso. A gente sabe que se cada um estiver concentrado, focado, cumprindo todas as ordens táticas, acho que o time pode fazer sim uma grande figura na temporada. Temos que trabalhar muito e o sonho faz parte do nosso trabalho.”

Quantos reforços devem chegar nesse período de recesso

“Difícil te dizer números agora, mas se você contrata quatro ou cinco reforços de peso não tem mais problema nenhum. Você acaba , pela falta de recursos de investir nos grandes nomes, buscando a quantidade e não qualidade para tentar suprir essa necessidade. Nós somos brasileiros e com muito jogo de cintura, negociação, conversas, fechar com alguns nomes. Podemos tentar seduzir algum jogador, se não for com dinheiro, pode ser com o nosso ambiente saudável, que também atrai alguns atletas.”

Notícias relacionadas