Mercado não reage como esperado e Botafogo já pensa até em manter Dória

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Desde que surgiu no Botafogo em 2012, Dória teve seu nome envolvido em possíveis negociações com times da Europa. Até esta quinta-feira alguma propostas já chegaram nas mãos de dirigentes de General Severiano, mas sem conter as cifras esperadas. Assim o zagueiro, sempre cotado para deixar o clube, permanece no Alvinegro.

A próxima janela abrirá após a Copa do Mundo e, mais uma vez, os olhos recaem sobre Dória. Sondado por muitos empresários, que dizem ter uma autorização de grandes clubes da Europa, o zagueiro do Botafogo é um dos nomes mais valorizados no futebol brasileiro. O problema é que nenhuma proposta oficial chegou.

O Botafogo se animou com a falta de velocidade do mercado e já planeja manter o zagueiro por mais algum tempo. A cláusula de Dória é de 20 milhões de euros e o Alvinegro até pode liberar o jogador por um valor pouco abaixo. Mas nenhuma das sondagens chegou perto até o momento e o zagueiro, que passa férias na Europa após ser campeão pela seleção brasileira sub-20, na França, pode ficar em General Severiano.

Um dos representantes do atleta, Jolden Vergette tem outra visão da situação. Segundo ele, Dória está muito valorizado pelos times da Europa e acha difícil a permanência do jogador no Botafogo para a sequência da temporada. O agente ainda explica a tal ‘demora’ do mercado e diz considerar a situação normal.

“O mercado ainda não abriu, pois é final de temporada, tem a Copa do Mundo. Mas vai esquentar. O Dória é muito cotado, muito especulado, não tem nada de concreto no momento, mas isso é questão de tempo. Os números de Dória, pelo o que ele faz em campo, são muito valorizados pelos times europeus. Essa questão vale muito para eles e, por isso, tenho certeza que vai pintar proposta. Talvez até antes da Copa. Não há nada definido, pois tudo depende dos próximos dias”, disse Jolden ao UOL Esporte.

Além de times da Europa, Dória também despertou o interesse de times do Brasil. O primeiro foi o Santos, através de uma indicação do técnico Oswaldo de Oliveira, que trabalhou com o zagueiro no Botafogo por duas temporadas. Em seguida, o jovem atleta virou uma das prioridades do São Paulo, mas a negociação não esquentou. Para o mercado nacional, o Alvinegro estaria disposto a vendê-lo por valor bem inferior à multa rescisória.

Notícias relacionadas