O Mirassol, time que atualmente está na 1ª divisão do Campeonato Paulista, entrou na Justiça cobrando quase R$ 260 mil do Botafogo.

Na ação, à qual a ESPN teve acesso, a equipe amarela alega que emprestou o meia Renatinho ao clube carioca, em 2018, em troca de R$ 300.000,00, que deveriam ser pagos em seis parcelas de R$ 50.000,00.

O Mirassol, porém, afirma que o Bota quitou somente as duas primeiras, tendo sido inadimplente nas restantes.

Agora, os paulistas cobram estas quatro parcelas com correção monetária, multa de R$ 21.017,50 e juros de R$ 27.332,25, totalizando R$ 258.515,26.

“Como os pagamentos das parcelas nº 3, 4, 5 e 6 não ocorreram nas datas aprazadas nem até o presente momento, solução não resta ao credor a não ser propor a presente execução, na qual deve ser o clube demandado ser compelido ao pagamento do valor principal da dívida em aberto, acrescido de correção pelo IPC-A, juros de 1% ao mês e multa de 10%, tudo na forma contratualmente avençada, acima mencionada, observando-se de que em 30/05/2018 (data prevista para pagamento da terceira parcela + 45 dias) houve o vencimento antecipado de toda a dívida”, escreveram os advogados do Mirassol.

Eles pedem que o Botafogo seja citado e tenha prazo de três dias para quitar a dívida, além de arcar com as custas e despesas processuais, presentes e futuras, assim como os honorários advocatícios.

Caso o time de General Severiano não faça o pagamento neste prazo, a agremiação paulista exige que sejam penhoradas as cotas que o Bota recebe da TV Globo pela transmissão de seus jogos em TV aberta e da Globosat pela exibição em televisão fechada e pay per view.

Procurado, o clube do Rio de Janeiro disse que não vai se pronunciar.

Renatinho fez 31 partidas e marcou um gol com a camisa alvinegra.

Atualmente, ele defende o Goiás.

O caso corre na 3ª Vara do Foro de Mirassol, em São Paulo, e será julgado pelo juiz Marcos Takaoka.

Vale lembrar que, no início de junho, a 45ª Vara Cível do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro) cumpriu ordem para desbloquear as contas do Botafogo por conta de um arresto de R$ 2.831.214,28 que havia sido determinado a favor da empresa Hefesto Consultoria e Projetos Ltda, devido a um processo contra o clube carioca.

No entanto, de acordo com despacho ao qual a ESPN teve acesso, a Justiça encontrou apenas R$ 33,22 e o bloqueio sequer foi feito, já que o valor não corresponde nem mesmo a 0,01% do que é devido à requerente.

Fonte: ESPN Brasil