Por Vitinho e Traffic, Cidinho, Sassá e Daniel vivem situação delicada no Botafogo

Compartilhe:

A venda de Vitinho para o CSKA-RUS ainda repercute no Botafogo. A forma como o jogador, orientado pelo empresário, deixou a concentração da partida contra o Atlético-PR, em Curitiba, no fim de agosto, é o principal motivo e gerou consequências. A diretoria do clube rompeu com a Traffic, responsável pela carreira do atleta e pressiona outros jogadores do elenco alvinegro a deixarem a empresa.

Atualmente, o Botafogo conta com mais três atletas da Traffic. Cidinho e Sassá, nos profissionais, além de Daniel, jovem promessa das categorias de base, contratado junto ao Cruzeiro. Eles estão sendo pressionados pelos dirigentes do clube e poderão até mesmo ser afastados em 2014 caso permaneçam com os mesmos empresários.

“Eu não quero ver pintada na minha frente, de qualquer cor que seja, a empresa que cuida e representa o Vitinho. Ele foi tirado da concentração sem a autorização do Botafogo, viajou para fazer os exames sem autorização. Eles são covardes, não são sérios, e no Botafogo não entram mais. Os jogadores que têm contrato com a empresa estão cientes”, disse Maurício Assumpção em entrevista à Rádio Globo no último domingo.

Segundo apuração do UOL Esporte, a situação desses jogadores do Botafogo é bastante delicada. Além de serem afastados, o clube não descarta a possibilidade de fazer uma rescisão contratual e dispensar os atletas com carreiras agenciadas pela Traffic. Uma alternativa menos radical é emprestá-los a outros times até o fim dos seus vínculos com o Alvinegro.

O UOL Esporte entrou em contato com a Traffic, que preferiu não se posicionar sobre o assunto. Miguel Góis, que cuidava diretamente da carreira de Vitinho, falou com a reportagem durante um almoço, mas não voltou a atender o telefone até o fim do dia.

Cidinho se recupera de uma lesão no joelho direito e ainda não tem previsão de retorno aos gramados. Existe a possibilidade de voltar a jogar ainda em 2013, mas a probabilidade é que isso só ocorra na próxima temporada. O apoiador tem contrato até junho de 2015.

Sassá, por sua vez, treina normalmente com o elenco, mas tem poucas oportunidades com o técnico Oswaldo de Oliveira. O atacante, com contrato até maio de 2015, sofre com a concorrência e está atrás de companheiros como Elias, Alex, Henrique e Bruno Mendes.

Já Daniel, vinculado ao Alvinegro até maio de 2015, é tratado como a grande promessa das categorias de base. Ele chegou a General Severiano ao ser contratado junto ao Cruzeiro, em caso semelhante ao que o Botafogo fez com Jeferson Paulista, ex-São Paulo. O apoiador tem tido bom desempenho nos juniores e é bem cotado para se juntar aos profissionais em janeiro.

Fonte: UOL

Comentários