Após as saídas de Seedorf e Rafael Marques durante a pré-temporada, o torcedor do Botafogo teme a despedida de mais um jogador de meio-campo: o uruguaio Lodeiro, titular da seleção de seu país. Empresário do camisa 14, o também uruguaio Gerardo Cano está no Rio para convencer a diretoria alvinegra a negociá-lo com o Besiktas, da Turquia. A tarde desta sexta-feira será decisiva para o futuro do jogador, já que Cano se reunirá com dirigentes do clube em General Severiano.

A diretoria está pressionada pela saída de referências do elenco e a falta de contratações de jogadores do mesmo peso – as negociações com Forlán e Kléber fracassaram, assim como com o paraguaio Zeballos. Durante os últimos dois jogos, contra Bangu e Madureira em São Januário, a torcida hostilizou o presidente Maurício Assumpção e foi marcado na internet um protesto na sede do clube na manhã deste sábado.

Com os dirigentes alvinegros, Cano argumentará que Lodeiro abriu mão de uma oferta vantajosa no ano passado. Já o Botafogo defende que o meia só deixará o clube, com quem tem contrato até 2017, se o time interessado bancar a multa rescisória de € 8 milhões (R$ 26 milhões). Há a possibilidade de uma nova renovação contratual com aumento salarial do meia uruguaio de 24 anos.

A cinco dias da estreia na Libertadores, contra o Deportivo Quito, no Equador, o técnico Eduardo Húngaro demonstrou preocupação ao fim da partida ao falar sobre o tema.

– É um jogador fundamental. Não consigo imaginar a equipe sem ele. Chega de saída, agora é hora de ter entrada – disse o técnico, que explicou como o jogador deve atuar na atual temporada. – Percebo no Lodeiro uma facilidade tremenda nos lados do campo. É um jogador que tenho certeza que neste função mais próxima do gol vai nos ajudar muito. O mais legal é que ele está disponível para entender a função.

A beira do gramado, ao fim do jogo em que o Botafogo ganhou do Madureira por 2 a 1, Lodeiro também falou sobre o assunto. Durante todo o jogo, a torcida gritou “Fica, Lodeiro”.

– Eu tenho que pensar só aqui no Botafogo. Se acontecer outra coisa, será bem vindo. Mas estou feliz com a torcida e meus companheiros, que me dão um apoio muito grande. Assim é o futebol e pode acontecer qualquer coisa – afirmou o meia, sem dar dica sobre seu futuro.

Enquanto Seedorf e Rafael Marques deixaram o Botafogo, o clube trouxe poucos jogadores que chegam com status de titulares. No primeiro jogo da Libertadores, apenas Bolatti e Jorge Wágner devem começar jogando. Tanque Ferreyra também tem boas chances, mas ainda precisa ser regularizado a tempo. Além deles, o Botafogo trouxe Hélton Leite, Alex, Anderson, Rodrigo Souto, Aírton e Wallyson.

Fonte: Extra Online