O foco do Botafogo no Campeonato Brasileiro estará de lado durante esta quinta-feira, quando o recurso do clube para voltar ao Ato Trabalhista será julgado pelo TRT (Tribunal Regional do Trabalho). A ‘ajuda’ de torcedores ilustres e ricos – que prometem pagar salários do elenco até o fim do ano – amenizou o clima ruim, mas a pressão não deixou a cúpula alvinegra. A medida é tratada como emergencial e paliativa.

A batalha é para o TRT recolocar o Botafogo no programa. Assim, o Alvinegro se livra de penhoras das suas receitas, desde que 20% de suas fontes de renda sejam destinadas ao pagamento de débitos trabalhistas. Excluído do Ato em dezembro de 2013, por sonegação, o clube não consegue honrar com seus compromissos por ter 100% de receitas penhoradas.

A saída de Lucas após aval da Justiça por causa de pagamentos atrasados deu ainda mais força ao sinal vermelho ligado da diretoria do Botafogo. Na agenda do TRT, a vitória no julgamento é vista como fundamental para um alívio imediato do clube.

Se conseguir o triunfo no TRT, o Botafogo poderá receber verbas de bilheteria, direitos de TV e venda de atletas em até 24 horas.

O recurso impetrado na Justiça será o primeiro movimento observado por uma comissão especial montada por dirigentes influentes do Alvinegro. O grupo não tem poder de mudar decisões da diretoria comandada por Maurício Assumpção, mas estará próxima para acompanhar processos judiciais envolvendo o Botafogo por dois meses. As eleições presidenciais acontecem no dia 25 de novembro.

O Botafogo tem muitas pendências com o elenco. O Alvinegro batalha para acertar dois meses de salários em carteira e seis de direitos de imagem. O clube também precisa recolher o FGTS. Além disso, existem os credores antigos. A diretoria sustenta que esses jogadores e funcionários também serão beneficiados caso o TRT defina retorno ao Ato Trabalhista.

Dentro de campo, a situação do Botafogo também é complicada. A equipe perdeu por 1 a 0 nesta quarta-feira para o Figueirense e se manteve com 16 pontos – a situação inspira cuidados, já que o Alvinegro não consegue se distanciar das equipes que brigam contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

Fonte: UOL