Sem Seedorf, coube a Renato vestir a camisa 10 do Botafogo e carregar a faixa de capitão no braço na primeira partida do time em 2014. E o experiente meia não decepcionou. Com a moral reduzida no clube e diante de uma chance final em General Severiano neste início de temporada, o jogador ignorou a má fase do final de 2013 e comandou no empate por 1 a 1 contra o Resende no último sábado, em Volta Redonda.

Com um gol, bons passes, muita movimentação e inúmeras chances criadas, Renato mostrou disposição para reverter o cenário nos últimos seis meses de contrato.

Com R$ 300 mil de salário e vínculo até julho, ele tenta se valorizar. Sem intenção de continuar com Renato por conta dos altos custos, o Botafogo chegou a oferecer o atleta no mercado a alguns clubes. No entanto, nada foi feito. Com isso, o meia passou a atuar entre os reservas, como no último sábado.

E já no primeiro teste do ano agradou Eduardo Húngaro, novo técnico e que pode ajuda-lo a mudar o futuro que não se desenhava tão bom no clube de General Severiano.

“O Renato fez um ótimo jogo e isso não foi surpresa para mim. Ele jogava assim, mais adiantado, no Sevilla e quero usá-lo assim aqui também. Ele construiu, marcou, foi à frente. Foi bem, comandou o time. Espero que ele repita isso outras vezes. Acreditamos muito nele”, ressaltou Húngaro.

Na próxima terça-feira, em jogo contra o Bangu em São Januário, Renato novamente estará entre os titulares, já que Eduardo Húngaro poupará o time principal. Será mais uma chance do meia mostrar que pode ficar à disposição para a partida de quinta, contra o Madureira, quando o Botafogo deverá ter força máxima, e, principalmente, para a Copa Libertadores.

Fonte: UOL