Seedorf em baixa, fator casa e novo desmanche: motivos da queda do Botafogo

Compartilhe:

O Botafogo iniciou o Brasileiro como franco atirador. Porém, a equipe mostrou dentro de campo ser um dos favoritos para conseguir ao menos uma vaga na Libertadores. A cinco jogos do fim, o Alvinegro segue no G-4, o que ocorre desde a 5ª rodada. Porém, o time de General Severiano caiu de rendimento no segundo turno e foi cobrado por seus torcedores após derrota para o Inter, no último domingo, já que o Goiás igualou os 53 pontos e ameaça os cariocas.

Alguns pontos explicam a queda de rendimento do Botafogo. Uma delas é a má fase vivida por Seedorf, principal nome da equipe. Além disso, a diretoria contribuiu ao fazer o segundo desmanche em dois anos e não repor essas perdas à altura. O UOL Esporte listou os cinco principais motivos. Confira:

SEEDORF CAI DE PRODUÇÃO E LIDERA QUEDA TÉCNICA NO BOTAFOGO

  • Seedorf alegrou os torcedores com o futebol apresentado no primeiro semestre. Sob sua batuta, o Alvinegro conquistou o Carioca e liderou o Brasileiro por algumas rodadas. Porém, o holandês não soube lidar com a maratona de jogos da competição nacional e caiu de produção. Prova disso, é que ele tem sido substituído sistematicamente pelo técnico Oswaldo de Oliveira nas últimas partidas, motivo de insatisfação do holandês.

BOTAFOGO REPETE ERRO, FAZ NOVO DESMANCHE E ENFRAQUECE TIME

  • Em 2012, o Botafogo estava firme na briga por uma vaga na Libertadores até a reta final da competição, quando perdeu força e se distanciou do G-4. Na época, o técnico Oswaldo de Oliveira reclamou bastante do desmanche feito pela diretoria que negociou jogadores como Loco Abreu, Herrera e Maicosuel, por exemplo. Este ano a história se repete, com saídas de Andrezinho, Fellype Gabriel, Jadson e Vitinho.

BOTAFOGO PERDE EMBALO OFENSIVO E VÊ NÚMERO DE GOLS REDUZIR

  • Uma das melhores qualidades do Botafogo era a força ofensiva apresentada nas partidas, tanto que foi a terceira equipe que mais marcou gols no primeiro turno – atrás apenas de Cruzeiro e Atlético-PR. Porém, o Alvinegro perdeu o embalo e viu o número de gols reduzir. Na primeira parte, o time de General Severiano havia marcado 32 em 19 jogos. Na segunda, foram apenas 14, no mesmo número de confrontos.

BOTAFOGO FALHA EM DECISÕES E SE COMPLICA EM BRIGA POR TÍTULO E G-4

  • Apesar de estar no G-4 há cinco meses – desde a 5ª rodada –, o Botafogo decepcionou seus torcedores nos momentos decisivos neste Brasileiro. Tudo começou diante do Cruzeiro, no Mineirão. O jogo foi tido como uma ‘final’ antecipada na oportunidade e o Alvinegro saiu derrota por 3 a 0. Longe do título, o time de General Severiano também se complicou na briga pela Libertadores: revezes contra Grêmio, Vitória e Goiás.

BOTAFOGO PERDE FORÇA COMO MANDANTE E TROPEÇA NO MARACANÃ

  • Após estrear no Maracanã com empate diante do Flamengo, o estádio virou um trunfo do Botafogo no Brasileiro. Porém, o segundo turno não tem sido tão bom quando o primeiro para o Alvinegro. Três derrotas em casa complicaram a vida da equipe em busca de vaga na Libertadores. Bahia, Ponte Preta e, principalmente, Grêmio deixaram o time de General Severiano mais distante do seu objetivo.


Fonte: UOL
Comentários