Apesar do pouco tempo de disputa, o Campeonato Carioca já encara seu primeiro problema na Justiça. No final da tarde desta quarta-feira, o Saferj (Sindicato de Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) entrou com uma ação cautelar na 4ª Vara do Trabalho solicitando uma liminar para adiar o jogo marcado para a próxima quinta-feira entre Botafogo e Madureira.

De acordo com o presidente do Sindicato, Alfredo Sampaio, a marcação do jogo em São Januário às 21h desrespeita uma lei da CBF que determina que os clubes não podem disputar duas partidas em um intervalo menor que 66 horas. Botafogo e Madureira entraram em campo pela última vez na terça, às 17h e 19h30, respectivamente.

“Estamos cientes do calendário apertado em 2014, mas não podemos deixar isso passar em branco. Temos que respeitar as regras e principalmente preservar a saúde dos atletas. Jogar em um período inferior a 66 horas é prejudicial ao profissional do futebol e estamos batalhando para mudar isso”, disse Alfredo, em nota divulgada pelo Saferj.

Na sequência, em contato com a reportagem, ele reforçou seus argumentos.

“O Botafogo ainda tem um elenco grande e dois times para jogar, mas e as outras equipes? O Madureira jogou na terça, às 17h, e volta a jogar na quinta. Isto não pode acontecer. Existe uma norma da CBF e a Federação não pode querer passar por cima disso. É preciso respeitar. Os jogadores não são máquinas”, argumentou.

Alfredo Sampaio acredita que a Justiça dê um parecer favorável a seu pedido no início desta quinta-feira, impossibilitando a realização do jogo. “Não pode ter jogo. Vamos brigar por isso”, frisou.

Marcado inicialmente para o dia 29 de janeiro, o jogo foi antecipado por conta da participação do Botafogo na Copa Libertadores na mesma data, em duelo contra o Deportivo Quito, no Equador.

De olho no planejamento para a Libertadores, o clube alvinegro não se opôs à antecipação, já que usaria um time em cada jogo desta semana e teria tempo para viajar ao Equador na próxima semana.

Fonte: UOL