O 2º Tribunal do Júri da Capital do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro condenou o torcedor do Flamengo Rogério Silva Guinard, integrante de uma torcida organizada do Flamengo, a 19 anos de prisão pela morte de Diego Silva dos Santos, torcedor do Botafogo e integrante de organizada do clube, perfurado com um espeto de churrasco em 2017.

O episódio ocorreu no dia 12 de fevereiro daquele ano, nos arredores do estádio Nilton Santos, na Zona Norte do Rio. Naquele dia, Flamengo e Botafogo se enfrentariam pelo Campeonato Carioca. Uma briga entre integrantes de organizadas antes da partida acabou com a morte de Diego, atingido por chutes, socos e golpes de porrete, além das perfurações com o espeto.

Além da condenação principal, Rogério também foi condenado a sete anos e seis meses por associação criminosa. Vitor Portêncio da Silva, também acusado de participar do crime, teve o julgamento adiado, enquanto Herbert Vinicius Sabino de Paula, outro acusado de envolvimento na briga, foi absolvido do homicídio, mas condenado por associação criminosa. Com três anos de pena já cumpridos, cumprirá o restante da pena em regime aberto.

Fonte: Extra Online