A briga entre William Arão e Botafogo ganhou um novo capítulo. A justiça marcou para o próximo dia 5 de setembro, às 11h (de Brasília), a terceira audiência entre jogador e clube. Entretanto, desta vez, vai ter a participação do Flamengo, time o qual o volante está atuando. Depois de duas derrotas, o setor jurídico recorreu em segunda instância, e o desembargador Bruno Louzada agendou um novo “embate” entre as partes.

Em contato com o Esporte Interativo, Domingos Fleury, vice-jurídico do Botafogo, revelou que o otimismo está grande para a próxima audiência.

“Olha…eu sempre falei que o direito do Botafogo é o melhor. Na medida que a causa fosse sendo apreciada pelos tribunais superiores, as chances aumentariam. Porque os juiz de primeiro grau é muito parlamentarista. Tem uma cultura reclamante. Na medida que sobe (de hierarquia), os juízes são mais estudiosos e não tão parciais e as chances aumentam. É o que está acontecendo. Essa questão do Arão negar que o contrato é nulo é uma imoralidade. Ele assinou um compromisso com o Botafogo e estabeleceu as bases salarias do novo contrato. Foi aliciado pelo Flamengo e descumpriu o acordo. Então é uma atitude nitidamente de má fé. Então, isso vai ficar claro para os desembargadores, que são mais experientes do que os juízes das varas. E vou lhe dizer mais…não vai acabar no TRT não. Quem vai dar a palavra final vai ser o tribunal superior do trabalho em Brasília. Porque a parte que sair derrota, e nós acreditamos que agora seja o Arão e o Flamengo, vai haver recurso em Brasília, pois é uma questão de direito. Esse caso do Arão é o famoso “leading case”. Então, por ser uma questão de direito e de repercussão geral, quem perder vai lá no tribunal de Brasília, onde vai ser dada a palavra final. O relator estudou o caso e está tentando resolver amigavelmente. Se não tivéssemos razão alguma, ele não ia perder tempo marcando audiências de conciliação. Ele está tentando compor de uma forma mais amigável. Então é isso…vamos aguardar e estamos otimistas”.

Diferentemente do que aconteceu nas audiências anteriores, o Flamengo, clube que Arão veste a camisa atualmente, foi intimado a participar da conciliação. Segundo Domingos Fleury, essa decisão é única e exclusiva da Justiça.

“O Botafogo não tem nada a ver com isso. Os recursos chegaram ao tribunal e o procedimento normal. Cabe o desembargador estudar e convocar a pauta. Ele estudou e resolveu determinar essa audiência e determinou também a presença do Flamengo. Então, essa audiência vai ser na segunda-feira, dia 5 de setembro, às 11 horas da manhã, no gabinete do desembargador do TRT. Isso foi uma iniciativa da própria justiça e não do Botafogo”.

Ainda segundo Domingos Fleury, o Botafogo busca receber o valor da multa rescisória, que seria de 20 milhões de reais. Caso o Flamengo não concorde em pagar a quantia, Arão volta a General Severiano e treinará à parte.

“A nossa intenção é receber o valor da multa rescisória, que é de 20 milhões (de reais). Se ganharmos a causa, e não recebermos a quantia, ele (Arão) vai voltar ao Botafogo e vai ficar treinando à parte, até que apareça algum clube interessado”.

Fonte: Esporte Interativo