O Botafogo, mergulhado em problemas financeiros, terá que se organizar para lidar com mais uma dificuldade a partir desta sexta-feira. A Viton 44 – patrocinadora máster do clube em 2014 e com relações comerciais com o Alvinegro há quatro anos – irá acabar com a parceria. O acordo não será renovado por causa de diferenças do empresário Neville Proa com a diretoria que deixou o Botafogo neste ano.

Em entrevista ao jornal O Globo, o dono da Viton 44 – que estampará a sua marca no Fluminense na próxima temporada – atacou a gestão de Maurício Assumpção de forma firme. A empresa deixa o Botafogo insatisfeita com as decisões do cartola em 2014.

“A antecipação não era para pagar jogador, era da rodinha lá de dentro. Só pode ser isso, mais nada. Eu não sabia de nada. Única e tão somente, eu fazia propaganda. Vivemos só disso, e nos deu uma visibilidade enorme. Infelizmente, acontece de encontrar esses sem-vergonha, safados, como tem um monte no Brasil”, criticou o empresário.

Um adiantamento da cota de patrocínio através do Banco Modal no primeiro semestre deixou Neville Proa irritado. De acordo com o jornal, a Viton 44 não deu autorização para a manobra de Assumpção, que resultou em problemas para a empresa.

Um oficial de Justiça procurou Neville em busca de informações a respeito a fonte de receitas do Botafogo. A Viton 44, a partir de então, passou a pagar o clube em juízo.

A renovação do contrato com a Viton 44 era prioridade da nova gestão alvinegra, comandada pelo presidente Carlos Eduardo Pereira.

Em 2014, o clube arrecadou R$ 28 milhões e buscava ao menos repetir essa verba para a temporada 2015.

Fonte: UOL e O Globo